Tamanho do texto

Operação ocorre em Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo, Ceará e no Distrito Federal; mais de 400 policiais federais estão envolvidos

Investigados pela Polícia Federal devem responder, na medida de suas participações, por tráfico transnacional de drogas
Divulgação/Polícia Federal
Investigados pela Polícia Federal devem responder, na medida de suas participações, por tráfico transnacional de drogas

Nas primeiras horas desta quinta-feira (21), a Polícia Federal deflagrou a Operação Flak, que tem como objetivo desarticular uma organização criminosa especializada no transporte aéreo de drogas para o Brasil, Estados Unidos e Europa. No total, são cumpridos 54 mandados de prisão e 81 de busca e apreensão, todos expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas, em Tocantins.

Leia também: PF mira pessoas que estariam atrapalhando as investigações sobre o caso Marielle

A investigação da Polícia Federal teve início há dois anos, no período de 2017 a 2018. Na ocasião, foram identificados 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, no total de mais de nove toneladas. Segundo os investigadores, aviões eram adulterados para ter mais tempo de vôo, não pousar em lugares inesperados e, assim, não ter a droga interceptada.

Essa operação é deflagrada em cinco estados brasileiros: Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo e no Ceará. Além disso, há mandados para serem cumpridos no Distrito Federal.

Mais de 400 policiais federais estão envolvidos na ação e também participam a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás (GRAER/PMGO).

Leia também: Suposta candidata laranja do PSL alega que doença da mãe atrapalhou a campanha

Por conta da Operação Flak , foi determinado o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas nas investigações. Além disso, a PF apreendeu 47 aeronaves e houve o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino. Por fim, essa mesma operação incluiu seis pessoas no Sistema de Difusão Vermelha da Interpol.

De acordo com as suas participações, os investigados na operação policial devem responder pelos crimes de tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico de drogas , financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

Leia também: Líder do PCC na fronteira com Paraguai é preso pela Polícia Federal

O nome da Operação Flak faz uma alusão à expressão utilizada pelos países aliados durante a Segunda Guerra Mundial para se referirem à artilharia antiaérea alemã. A Polícia Federal não soube informar ao certo os futuros desdobramentos desta operação. 

* Com informações da Agência Brasil.