Deputada Paulinha afirmou que vai aproveitar momento para discutir violência contra a mulher
Reprodução/Facebook Deputada Paulinha
Deputada Paulinha afirmou que vai aproveitar momento para discutir violência contra a mulher

A deputada estadual de Santa Catarina Ana Paula da Silva (PDT), conhecida como deputada Paulinha , afirmou que irá entrar com representação judicial contra todas as pessoas que fizeram comentários violentos nas redes sociais da parlamentar por ela ter utilizado uma roupa decotada durante a cerimônia de posse da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Em seu primeiro discurso no plenário da Alesc, nesta sexta-feira (8), a parlamentar destacou o episódio e afirmou que era preciso falar sobre violência. “Eu recebi muitos elogios e muito apoio, e também muitas críticas ao meu decote aos quais eu aceito humildemente, especialmente de quem não me conhece”, disse a deputada Paulinha .

Na sessão do dia 1º de fevereiro, Paulinha vestiu um macacão vermelho decotado que foi alvo de comentários ofensivos.  “O problema é que boa parte dessas criticas extrapolou completamente o conceito de opinião. Fui atacada de diversas formas, incluindo até menções a violência sexual. Descordar da forma com eu me visto é opinião e direito de cada um, mas transformar isso em ofensas e agressão é crime”, afirmou.

Leia também: Deputada encontra apartamento funcional ocupado por filho de outro parlamentar

Você viu?

Em seu discurso, Paulinha ressaltou que Santa Catarina é o quarto estado do Brasil que “mais violenta, maltrata e subjuga suas mulheres”. “Temos que romper com esse ciclo terrível de violência que estamos submetidas. Mas essa, colegas, não é uma pauta só das deputadas, é de todos e todas nós”, disse.

No último dia 5, a deputada informou que sua equipe precisou mediar as mensagens, que chegaram a fazer menção a estupro. Paulinha fez cópia dos comentários e apagou os mais maliciosos.

De acordo com a Assembleia Legislativa, o traje da deputada estava de acordo com o regimento interno, que exige passeio completo, e portanto não houve quebra de decoro. A Alesc também repudiou os comentários misóginos contra a deputada.

Leia também: "Eu estou solto e Lula está preso, babaca", diz Ciro em ato da UNE em Salvador

deputada Paulinha  já foi prefeita de Bombinhas, no Litoral Norte de Santa Catarina, duas vezes. Em 2018, elegeu-se como a quinta parlamentar mais votada do estado. Essa foi a eleição com o maior número de mulheres eleitas para a Alesc: cinco entre os quarenta parlamentares.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários