Tamanho do texto

Pedetista discursava para um público de estudantes, quando criticou uma parcela dos jovens por defender políticos envolvidos em corrupção; entenda

Derrotado nas urnas em outubro, o ex-candidato Ciro Gomes repetiu a expressão consagrada de seu irmão sobre Lula
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Derrotado nas urnas em outubro, o ex-candidato Ciro Gomes repetiu a expressão consagrada de seu irmão sobre Lula

O ex-candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT), derrotado nas eleições de 2018, entrou numa discussão com apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta quinta-feira (7), em um ato da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Salvador.

O motivo? Ciro Gomes repetiu a expressão popularizada pelo seu irmão, Cid Gomes (PDT), quando, durante o período de campanha para o segundo turno das eleições presidenciais, criticou apoiadores do ex-presidente em um ato pró-Haddad, dizendo: " O Lula está preso, babaca ".​

Hoje, Ciro discursava para um público de estudantes na Bienal da UNE, quando criticou uma parcela dos jovens por defender políticos envolvidos em corrupção. Até esse momento, o ex-candidato presidencial não havia citado o nome de Lula. 

"[O jovem] não está sequer ouvindo porque dói, dói demais você ouvir as coisas quando elas são verdadeiras e a referência totêmica, o totem deles não responde mais. Tem coisa mais chata do que um jovem estar num bar defendendo corrupto?", perguntou Ciro.

Nessa altura, Ciro já era vaiado e começou a ser hostilizado por alguns estudantes que o chamaram de corrupto. Como de costume, o político pedetista não aceitou as críticas, se exaltou e acabou rebatendo os manifestantes.

Leia também: Gleisi associa condenação de Lula a possibilidade de petista ganhar Nobel da Paz

“Eu não sou [corrupto], não. Eu estou solto, 38 anos de vida pública, nunca respondi por nenhum malfeito. Eu sou limpo. Eu sou limpo. Engole essa, engole essa”, disse. Na sequência, repetiu por três vezes a fatídica expressão: “O Lula está preso , babaca”.​

Ciro foi considerado por boa parte do eleitorado de Fernando Haddad (PT) e de outros candidatos da esquerda como uma alternativa para derrotar o então candidato Jair Bolsonaro (PSL) na disputa pelo Palácio do Planalto. Porém, passado o primeiro turno das eleições, o ex-candidato pedetista não declarou apoio claro a Haddad e, desde então, não teve sua imagem aproximada do PT ou se deus apoiadores. 

Leia também: Nove perguntas e respostas para entender a condenação de Lula no caso do sítio

Nesta quinta, porém, após discutir com os apoiadores de Lula, Ciro até tentou amenizar as críticas, afirmando que ninguém ajudou mais o ex-presidente do que ele. Por fim, o ex-candidato encerrou seu discurso sob gritos de "oportunista" e uma sequência de vaias.  Ciro Gomes , segundo a Folha de S.Paulo , participava de um debate sobre “desafios da conjuntura para o desenvolvimento nacional”.