Tamanho do texto

"Já vi muito homem de terno e gravata tirando dinheiro da saúde, da merenda escolar, isso sim é inaceitável", rebateu a deputada Paulinha (PDT)

Deputada Paulinha vai aproveitar momento para discutir violência contra a mulher
Reprodução/Facebook Deputada Paulinha
Deputada Paulinha vai aproveitar momento para discutir violência contra a mulher

A deputada estadual de Santa Catarina Ana Paula da Silva (PDT), conhecida como deputada Paulinha, foi alvo de ataques nas redes sociais em função da roupa que usou na cerimônia de posse da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Na sessão do dia 1º de fevereiro, Paulinha vestiu um macacão vermelho decotado que foi alvo de comentários ofensivos.

Leia também: Ibope: 77% acham que homens e mulheres deveriam ocupar igualmente o legislativo

A deputada Paulinha reagiu aos ataques e afirmou, em entrevista à NSC TV , que sempre usou roupas justas e decotadas e não vai ser agora que chegou à Alesc que vai mudar. "Eu não vou arredar o pé daquilo que eu sou. Eu quero ser feliz acima de todas as coisas. E isso implica em me apresentar para as pessoas como eu sou”, disse. “Não estou aí para ser avaliada por isso. A sociedade de Bombinhas me avaliou pelo meu trabalho. O jeito como me visto é problema meu.”

Em sua página pessoal do Facebook as ofensas continuam chegando. Paulinha respondeu a um comentário feito por um homem: "Esse mundo machista e preconceituoso que você vive não é o meu. Visto-me como quero, como acho que devo, e não coaduno com valores moralistas que patrocinam a corrupção, por exemplo. Já vi muito homem de terno e gravata tirando dinheiro da saúde, da merenda escolar, isso sim é inaceitável".

A deputada informou que sua equipe precisou mediar as mensagens, que chegaram a fazer menção a estupro. Paulinha fez cópia dos comentários e apagou os mais maliciosos. Agora, ela avalia a possibilidade de processar os autores.

Leia também: Partidos não investem e participação da mulher nas eleições continua baixa

Para a deputada, a presença de mulheres na política ainda é um fato estranho para a população e as pessoas estão dando atenção para coisas que não são relevantes. "Mulheres estão na política e a sociedade tem que se acostumar com elas como são. Tem questões muito mais importantes para a Assembleia Legislativa discutir."

“Santa Catarina tem um dos números mais agressivos de violência contra a mulher , e ninguém assume que isso é preconceito. Vou responder a essa situação, é um grande momento pra trazermos essa pauta da violência contra a mulher”, afirmou Paulinha, que vê esse momento como uma boa oportunidade para discutir a violência contra mulheres.

A Assembleia Legislativa informou que o traje da deputada estava de acordo com o regimento interno, que exige passeio completo, e portanto não houve quebra de decoro. A Alesc também repudiou os comentários misóginos contra a deputada.

Leia também: Deputada encontra apartamento funcional ocupado por filho de outro parlamentar

A deputada Paulinha já foi prefeita de Bombinhas, no Litoral Norte de Santa Catarina, duas vezes. Em 2018, elegeu-se como a quinta parlamentar mais votada do estado. Essa foi a eleição com o maior número de mulheres eleitas para a Alesc: cinco entre os quarenta parlamentares.