Tamanho do texto

Em Mauá, Laidys Sosa Ulloa Gonçalves foi assassinada pelo parceiro, Dailton Gonçalvez; homem enterrou corpo da vítima em mata em Ribeirão Pires

Dailton foi preso em flagrante pelo assassinato da médica cubana
Reprodução
Dailton foi preso em flagrante pelo assassinato da médica cubana

A médica cubana Laidys Sosa Ulloa Gonçalves, de 37 anos, foi morta a golpes de chave de fenda pelo marido na tarde deste domingo (3), em Mauá, no ABC Paulista. De acordo com a Polícia Militar, o corpo foi encontrado enterrado em área de mata no mesmo dia, em uma cidade próxima. 

Leia também: Idoso é agredido e morto a pauladas no Guarujá, litoral de São Paulo

O vigia Dailton Gonçalves Ferreira, brasileiro de 45 anos, teve uma discussão com a esposa na residência do casal, no Jardim Olinda, por motivos ainda desconhecidos. Durante a briga, o marido deu vários golpes com chave de fenda na médica .

Ao notar que a vítima estava morta, ele colocou o corpo em seu veículo e o levou até a Estrada de Fernandes em Ribeirão Pires, também no ABC. Familiares de Laidys acionaram a Polícia Militar para avisar sobre o crime e informaram a placa do veículo de Dailton, que foi localizado por radares. 

Ao ser abordado pelos policiais, o vigia foi questionado sobre as manchas de sangue no banco do carro, e acabou confessando o crime. Dailton ainda levou os agentes da 3ª Companhia do 30º Batalhão da PM até o local onde enterrou o corpo da vítima, ex-integrante do programa Mais Médicos. 

Leia também: Jovem é espancada e morta pelo marido durante visita íntima em prisão, em SP

Na residência do casal, os PMs também apreenderam a chave de fenda usada no crime. O filho de Dailys e Dailton, de 5 anos, agora ficará aos cuidados dos parentes da vítima. 

Somente em janeiro, já foram registrados mais de cem casos de feminicídio no Brasil . segundo levantamento feito pelo professor Jefferson Nascimento, doutor em Direito Internacional pela USP. Em três semanas, mulheres foram vítimas de atentados em  94 cidades e 21 estados do País. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o 5º país mais perigoso para as mulheres. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Púbica (SSP), Dailton foi preso em flagrante pelo homicídio da médica , e levado ao 1º Distrito Policial (DP) de Mauá, onde foi indiciado por homicídio qualificado, com agravantes de feminicídio e ocultação de cadáver.