Tamanho do texto

Agentes e militares deverão enfrentar calor intenso, pois a temperatura registrada nesta manhã é de 33ºC; reforços foram acionados para esta quarta

Foram acionados agentes de cidades próximas e de vários estados do país para apoio aos trabalhos em Brumadinho
Cristiane Mattos
Foram acionados agentes de cidades próximas e de vários estados do país para apoio aos trabalhos em Brumadinho

A Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar (PM) reforçaram as suas equipes, nesta quarta-feira (30), para intensificar as atividades em Brumadinho, em Minas Gerais. Esse foi o sexto dia seguido de buscas interruptas na região atingida por lama após o rompimento de uma barragem da mineradora Vale. Ao todo, 99 mortos já foram confirmados na tragédia. 

Leia também: Engenheiros que atestaram segurança na barragem em Brumadinho são presos

Para hoje, foram acionados agentes de cidades próximas e de vários estados do País para dar apoio aos trabalhos na área. Os agentes e militares deverão enfrentar calor intenso em Brumadinho hoje, pois a temperatura registrada nesta manhã é de 33ºC.

Pelo último levantamento, foram contabilizados 99 mortos, sendo que 57 deles já foram  identificados. Há ainda 259 vítimas desaparecidas. Além deles, 393 pessoas foram resgatadas desde o rompimento da barreira, na última sexta-feira (25), sendo 122 funcionários. A última pessoa a ser resgatada com vida foi encontrada no último sábado (26). 

Integrantes do governo federal já admitiram que  não será possível resgatar os corpos de todas as vítimas da tragédia em Minas Gerais. “Este é um episódio de muita gravidade. Algumas pessoas, triste e lamentavelmente, não serão recuperadas", disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, após reunião do comitê de crise montado pelo Palácio do Planalto para acompanhar a situação.

O governo vem atuando, juntamente às autoridades de  Minas Gerais , em busca de soluções para reduzir os impactos da tragédia, que, no aspecto humano, já é mais de quatro vezes pior que a de Mariana, onde 19 pessoas morreram após rompimento de barragem da Samarco em 2015.

Dessa vez, a barragem Mina Córrego do Feijão rompeu-se perto do horário do almoço na sexta. Por conta disso, o foco das buscas têm sido, nas últimas horas, na região próximo a um refeitório da Vale, que foi invadido pela lama. O porta-voz do Corpo de Bombeiros, Pedro Aihara, disse ontem que a expectativa é de avanços ao longo do dia de hoje.

Leia também: "Tragédia era evitável", diz juíza que decretou prisão de funcionários da Vale

A PM deslocou 400 policiais para a região rural de Brumadinho , que é considerada extensa. Os agentes atuam para impedir saques nas casas que estão sem moradores.

* Com informações da Agência Brasil.