Tamanho do texto

Foco desta terça-feira (29) foi a região do refeitório localizado na área administrativa da Vale; acidente aconteceu perto das 13h, na hora do almoço

Equipes de resgate retiram novos corpos da lama, em Brumadinho, Minas Gerais; número de mortos não foi atualizado
Ricardo Stuckert / Fotos Públicas
Equipes de resgate retiram novos corpos da lama, em Brumadinho, Minas Gerais; número de mortos não foi atualizado

Subiu para 84 o número de mortos em razão do rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), ocorrido na última sexta-feira (28) . O novo balanço foi divulgado no início da noite desta terça-feira (29) pelas autoridades envolvidas nos trabalhos de buscas na região. Ainda há 276 pessoas desaparecidas e ninguém foi encontrado com vida ao longo desta terça. Os trabalhos de busca neste quinto dia seguido de operações da força-tarefa do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, equipes da própria Vale e voluntários pode se estender até às 21h.

Desde que os trabalhos de resgate tiveram início, 390 vítimas foram localizadas e 192 pessoas, resgatadas com vida – a última delas, na manhã de sábado. Dentre os 84 corpos já retirados da lama que tomou Brumadinho , 42 foram identificados pelo Instituto Médico Legal (IML), conforme informou o coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, Tenente Coronel Flávio Godinho.

As equipes de resgate que atuam na busca por sobreviventes após o rompimento da barragem amanheceram nesta terça-feira (29) focados no local onde havia um refeitório da Vale e no ônibus que levava funcionários da empresa.

Segundo o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, foram encerradas as buscas no local onde estaria o ônibus, lá foram encontrados três corpos. Também foram resgatados dois corpos de vítimas que estavam no refeitório. Ele disse que chegaram a esta conclusão porque, nessa região, foram encontrados botijões de gás e mobiliário do refeitório.

Amanhã, os trabalhos de resgate deverão começar por volta das 4h da manhã. O tenente também garantiu em entrevista coletiva nesta manhã que a barragem está estável. Ele relatou as dificuldades na operação na região onde foi encontrado um ônibus com pessoas mortas. O tenente ainda afirmou que os equipamentos trazidos pelo exército de Israel têm se mostrado efetivos para a equipe de resgate.

Ontem, as buscas já haviam sido feitas na região do refeitório, mas o dia foi encerrado sem localizar nenhum sobrevivente. Nesta segunda-feira (28), subiu para 65 o  número de mortos na tragédia em Brumadinho. O novo balanço revela também que ainda há 279 pessoas desaparecidas.

Ninguém foi encontrado com vida desde o último sábado, pelas operações da força-tarefa do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, equipes da própria Vale e voluntários. 

Leia também: Após Brumadinho, ministro Ricardo Salles chama sistema de barragens de "arcaico"

A mineradora Vale , responsável pela barragem que armazenava rejeitos da mina do Córrego do Feijão , anunciou nesta segunda-feira que fará doação de R$ 100 mil às famílias de cada uma das vítimas da tragédia – que, em termos humanos, já é quase quatro vezes maior que a de Mariana (MG), ocorrida no fim de 2015 e que deixou 19 mortos.

De acordo com o tenente-coronel Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais , o número de vítimas ainda pode aumentar. Aihara não descartou a possibilidade de que as equipes voltem a encontrar pessoas vivas, mas ressaltou que isso é cada vez mais improvável.

"Nós compreendemos a angústia dos parentes. Mas cabe a nós trabalhar com esperança. Evidentemente, isso é um pouco difícil de acontecer", declarou.

O bombeiro exaltou a colaboração da equipe de especialistas enviada por Israel , que já começou a atuar em conjunto com a força-tarefa brasileira nesta segunda-feira. Aihara explicou que os radares e demais equipamentos trazidos pelos israelenses ainda não foram utilizados por conta das particularidades do terreno enlameado, mas mostrou-se otimista quanto à sua serventia.

"Os equipamentos oferecem sim recursos necessários, mas é necessário algumas adaptações porque eles são usados em uma topografia diferente, sólida. Aqui, eles ainda não foram utilizados porque ainda estamos estudando como a gente vai fazer isso. A cooperação com Israel tem sido extremamente efetiva. Todo esse aparato tecnológico, provavelmente será muito benéfico", disse.

Leia também: Equipe de Israel que ajuda Brumadinho já atuou em 25 desastres pelo mundo

De acordo com Aihara, a previsão é de que o trabalho de resgate das vítimas em Brumadinho  concluído num prazo entre 10 e 15 dias.