Tamanho do texto

O presidente disse que trabalhará para minimizar danos e cobrar justiça; segundo ele, Israel pode ceder tecnologia para ajudar a encontrar soterrados

Presidente Jair Bolsonaro sobrevoa a região de Brumadinho, atingida pelo rompimento da barragem da Vale
Isac Nóbrega/P
Presidente Jair Bolsonaro sobrevoa a região de Brumadinho, atingida pelo rompimento da barragem da Vale


Depois de sobrevoar, na manhã deste sábado (26), a cidade de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) prometeu trabalhar para minimizar danos, cobrar justiça e previnir novos desastres.

Leia também: Brumadinho: bombeiros buscam sobreviventes em 4 pontos; 299 estão desaparecidos

O presidente sobrevoou a região atingida, na tarde de sexta-feira (25), pelo rompimento de barragem da mineradora Vale. Depois de analisar a região de Brumadinho , Bolsonaro escreveu, em sua conta no Twitter, que era difícil "ficar diante de todo esse cenário e não se emocionar".

Ele também afirmou que tomará todas as providências cabíveis para "atender as vítimas, minimizar danos, apurar os fatos, cobrar justiça e prevenir novas tragédias". Confira a publicação na íntegra:




O sobrevoo aconteceu ao lado dos ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva; do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; e de Secretaria de Governo, Alberto dos Santos Cruz, além do porta-voz, Otávio do Rêgo Barros. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), também participou. 

Leia também: Corpo de Bombeiros encontra ônibus com mortos em Brumadinho

Veja galeria de fotos do voo:


Logo depois, Bolsonaro retornou à Brasília. Em entrevista coletiva dada à imprensa na tarde deste sábado (26), o capitão reformado afirmou que, partir de agora, "o trabalho é com a busca de desaparecidos", que "infelizmente ainda pode aumentar muito".

Confira um vídeo, transmitido pela TV  Record , com alguns sobreviventes da tragédia esperando por resgate:


Leia também: Vale divulga lista com nomes de mais de 400 desaparecidos na tragédia

O presidente também disse que irá conversar com as autoridades de Israel, que se prontificou a ajudar com programas tecnológicos a encontrar possíveis vítimas soterradas em Brumadinho. De acordo com Bolsonaro e com o comandante do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Coronel Estevão, o país possui recursos para encontrar corpos em grandes profundidades.

"Aceitamos e agradecemos mais essa tecnologia israelense a serviço da humanidade", escreveu o presidente.





Presidência da República divulgou nota sobre a tragédia em Brumadinho

Presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota oficial sobre o rompimento da barragem em Brumadinho
Valter Campanato/Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota oficial sobre o rompimento da barragem em Brumadinho


Na tarde deste sábado, Bolsonaro divulgou uma nota oficial da Presidência da República sobre a desastre. De acordo com a publicação, o governo federal vai disponibilizar recursos humanos, financeiros e tecnológicos para auxiliar Minas Gerais. Ele também disse que adotará "todas as medidas necessárias para que tragédias como essa não se repitam e não fiquem impunes". 

Leia também: Polícias Federal e Civil vão investigar rompimento de barragem em Brumadinho

Leia a íntegra da nota: 

"Estive, nesta manhã, na região de Brumadinho , em Minas Gerais, atingida tragicamente pelo rompimento da barragem da Vale S.A. Sobrevoei a área, verifiquei a extensão dos danos e confesso minha tristeza, principalmente pela perda lamentável de vidas humanas. Acompanhei, juntamente com o Governador Romeu Zema, a avaliação das equipes dos órgãos governamentais e determinei que o Governo Federal proporcione total suporte à população vitimada por esse desastre. Disponibilizaremos recursos humanos, financeiros e tecnológicos para apoiar o Estado de Minas Gerais. Paralelamente, adotaremos todas as medidas necessárias para que tragédias como essa não se repitam e não fiquem impunes. Foi oferecido e aceitamos, por parte do 1º Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ajuda na busca de desaparecidos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.