Tamanho do texto

Segundo comandante do Corpo de Bombeiros, 7 corpos foram resgatados da lama e outros estão esperando para serem retirados dos locais da tragédia

Os trabalhos seguem intensos em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, depois do rompimento de barragens da mineradora Vale na sexta-feira (25) que levaram lama e rejeitos para a parte baixa da cidade. Segundo Cel Estevão, comandante do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, ainda há possibilidade de encontrar pessoas com vida após a tragédia. 

Leia também: Primeira vítima identificada da tragédia era médica e trabalhava na Vale

Segundo coronal, são 140 bombeiros nos trabalhos em busca de vítimas e sobreviventes em Brumadinho
Divulgação / Corpo de Bombeiros
Segundo coronal, são 140 bombeiros nos trabalhos em busca de vítimas e sobreviventes em Brumadinho

"Há a possiblidade de quatro pontos que estão sendo trabalhados durante toda a manhã com possíveis vítimas vivas", afirmou o comandante em entrevista coletiva no começo de tarde deste sábado (26). Ainda segundo Cel Estevão, são 39 bombeiros trabalhando nesses pontos em Brumadinho

Ele disse também que esses pontos são: um ônibus, uma locomotiva, um prédio e uma área na comunidade Parque das Cachoeiras. 

Leia também: Nove pessoas são resgatadas com vida da lama após tragédia em Brumadinho

7 corpos resgatados e 299 desaparecidos na tragédia de Brumadinho

Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho na sexta-feira
Reprodução/Record TV
Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho na sexta-feira

O comandante ainda afirmou que sete corpos foram resgatados da lama e outros estão sendo esperados para serem retirados dos locais atingidos pelo rompimento da barragem  . 

Ele falou também sobre o número de desaparecidos. "Nós estamos trabalhando com a possibilidade de 354 pessoas desaparecidas, pessoas essas que foram cadastradas pela própria empresa [Vale] e incluem operários e terceirizados". 

O número foi posteriormente atualizado para 299, uma vez que 46 pessoas ilhadas foram resgatadas no início da tarde.

Segundo Cel Estevão, os familiares de outras possíveis vítimas da tragédia podem procurar os órgãos responsáveis pelas buscas. "Essas pessoas estão sendo cadastradas e passam a integrar um hall de novas pessoas que os bombeiros vão buscar."

Além disso, a Vale também tem uma lista  com nomes de pessoas desaparecidas. Até essa manhã o número de nomes passava dos 400 e essa lista será atualizada em tempo real, conforme as pessoas forem sendo encontradas. 

Mais detalhes da operação em Brumadinho

Jair Bolsonaro se reuniu com políticos e representantes da Vale após sobrevoo pela região de Brumadinho
Reprodução/Twitter/@planalto
Jair Bolsonaro se reuniu com políticos e representantes da Vale após sobrevoo pela região de Brumadinho

No momento, são 14 aeronaves nos trabalhos de busca por vítimas na cidade mineira. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, esse número não pode ser elevado para não atrapalhar as buscas e nem o espaço áereo, que está sendo monitorado. "São 140 bombeiros trabalhando initerruptamente nas buscas por corpos", completa Cel Estevão. 

Leia também: Jair Bolsonaro e ministros fazem sobrevoo em área de tragédia

Ele também agradeceu o apoio oferecido por todos os estados e pelo governo federal para auxiliar nos trabalhos e disse estar esperando o momento mais adequado e analisando o terreno para, assim, poder utilizar as tropas especializadas. É provável que sejam usados cães farejadores a partir de segunda-feira.  

Antes de Cel Estevão, Romeu Zema, governador de Minas Gerais, falou rapidamente com a imprensa e citou a possibilidade do uso de tecnologia estrangeira nas buscas. Está sendo estudada a ideia de adotar uma tecnolgia de Israel com equipamentos de imagens que permite localizar corpos a 4 metros de profundidade. 

Por enquanto, as buscas seguem intensas. Desde às 7h da manhã deste sábado, equipes vasculhamos pontos com possíveis sobreviventes da tragédia de Brumadinho e outros locais. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.