Tamanho do texto

Em Fortaleza, o terminal de ônibus de Messejana foi isolado por duas horas devido a uma ameaça de bomba; ataques começaram no dia 2 de janeiro

Criminosos incendiaram carro e posto de gasolina no Ceará
Reprodução/TV Globo
Criminosos incendiaram carro e posto de gasolina no Ceará

Em mais um dia de terror no Ceará, criminosos incendiaram uma van na manhã desta quarta-feira (23) em Fortaleza e atearam fogo a um posto de gasolina em Caucaia, região metropolitana da capital, durante a madrugada. A onda de ataques no estado, que começou no dia 2 de janeiro, chega ao seu 22º dia hoje

Uma van foi incendiada no bairro Conjunto Palmeiras, uma periferia na capital do Ceará , por volta das 6h30 da manhã. O veículo estava estacionado em frente à residência do proprietário quando os criminosos quebraram o vidro e atearam fogo.

Durante a madrugada, dois homens roubaram um carro em um posto de combustível em Caucaia, na rodovia CE-090, e queimaram o veículo. O fogo se alastrou por todo o estabelecimento e destruiu o local. Um dos criminosos foi atingido pelas chamas, mas foi socorrido pelo outro homem. 

Segundo testemunhas, o veículo pertencia a um motorista de aplicativo, que foi deixado em um matagal após o assalto. O Corpo de Bombeiros e conseguiu controlar o incêndio. Além disso, outro carro também foi incendiado em uma estrada da cidade de Pindoretadama. 

Violência no Ceará chega ao seu 22º dia
Reprodução/SVM
Violência no Ceará chega ao seu 22º dia

Em Fortaleza, o esquadrão antibombas da Polícia Militar foi acionado por uma ameaça no terminal de ônibus de Messejana. Uma mala com conteúdo suspeito foi deixada dentro de uma lata de lixo.

Leia também: Criminosos incendeiam ônibus e caminhão de lixo no 20º dia de ataques no Ceará

Após isolarem a área, os policiais informaram que dentro da mala havia apenas café solúvel, papel e uma peça de moto. No entanto, guardas municipais localizaram material inflamável e outros instrumentos para fabricar bombas caseiras em um dos banheiros do terminal. O local ficou isolado por 2 horas. 

A onda de violência no Ceará começou por ordens dadas de dentro dos presídios , após o governo criar a Secretaria de Administração Penitenciária e iniciar uma série de ações para combater o crime. O novo secretário, Luís Mauro Albuquerque, pediu a fiscalização e apreensão de celulares, drogas e armas de dentro das celas. 

Em resposta aos  ataques ,  o Ministério da Justiça enviou mais um reforço para o estado. Dessa vez, novos 355 agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram enviados ao estado e chegaram na terça-feira (15). Eles estão trabalhando para evitar novas ações criminosas contra viadutos, torres de transmissão de energia e rodovias do estado.

Leia também: Violência no Ceará persiste e 800 policiais aposentados se apresentam ao serviço

O governo do  Ceará  também convocou 1,2 mil policiais militares da reserva para combater os ataques, eles tiveram até quarta-feira (16) para se apresentar voluntariamente e receberão uma ajuda de custo de R$ 1,3 mil além do salário de aposentados para contribuir com o patrulhamento enquanto a onda de violência perdurar. Segundo a própria Secretaria de Segurança Pública, 800 se apresentaram e 150 já começaram a trabalhar na quinta-feira (17). Desde o dia 2 de janeiro, já são mais de 200 atentados confirmados no estado.