Tamanho do texto

Justiça decretou prisão temporária de dois suspeitos de terem participado da morte de família de bolivianos, encontrados em Itaquaquecetuba, no interior de São Paulo; terceiro suspeito continua foragido e é procurado pela Interpol

Corpos de bolivianos desaparecidos são encontrados dentro de sacos plásticos, no interior de São Paulo
Reprodução/ Facebook
Corpos de bolivianos desaparecidos são encontrados dentro de sacos plásticos, no interior de São Paulo

Dois suspeitos de terem participado da morte da família de bolivianos encontrada mutilada em uma casa em Itaquaquecetuba, no interior de São Paulo , foram presos na noite desta quarta-feira (9). Segundo a Polícia Civil, os detidos já estavam na delegacia quando a Justiça decretou a prisão temporária dos suspeitos.

Um terceiro suspeito, Gustavo Vargas Arias, cunhado de uma das vítimas, ainda está foragido e sendo procurado pela Interpol. O parente foi o responsável por alugar a casa onde os corpos dos bolivianos Jesus Reynaldo Condori, de 39 anos, da esposa, Irma Morante Tanizo, de 38, e do filho do casal, Gian Abner Morante Condori, de oito anos, foram encontrados embalados em sacos plásticos dentro de três malas.

Os dois suspeitos detidos, Miguel Alvaro Bautista Silva e Roberto Kally Javier, são amigos de Gustavo e teriam intermediado o aluguel da casa. De acordo com a polícia, ambos entraram em contradição sobre o fato enquanto prestavam depoimento como testemunhas na delegacia e, por isso, foram presos preventivamente.

Leia também: Criminosos explodem viaduto e queimam ônibus na 10ª noite de ataques no Ceará

A investigação aponta possibilidade de que o crime tenha sido motivado por questões financeiras. Gustavo teria vindo ao Brasil para ajudar a família na confecção de roupas e não estaria satisfeito com o pagamento recebido. Antes de fugir, o suspeito retirou os pertences e a máquina de costura da casa do casal em São Paulo e levou para o imóvel alugado em Itaquaquecetuba.

A família de bolivianos estava desaparecida desde o dia 23 de dezembro do ano passado. Eles eram procurados por parentes da Bolívia que realizaram campanha nas redes sociais em busca pelos três, chegando a denunciar o crime à polícia, tanto no Brasil quanto no país de origem.

Leia também: Personal trainer desaparecida deixou carta antes de sair de academia, no Guarujá

A descoberta foi feita após denúncia de cárcere privado no bairro do Jardim Paineira. Após a polícia entrar em contato com o dono do imóvel e entrar na casa, as malas com os corpos do bolivianos foram encontradas no banheiro dos fundos. O caso está sendo investigado pelo 1° Distrito Policial de Itaquaquecetuba que confirmou que os corpos mutilados são da família.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.