Tamanho do texto

Edilson Bispo, de 48 anos está foragido. Vítima teve queimaduras de primeiro e segundo grau e está internada em estado grave no hospital em que trabalha

Edilson Bispo ateou fogo na ex-mulher, em Santo André
Reprodução
Edilson Bispo ateou fogo na ex-mulher, em Santo André

Um homem de 48 anos ateou fogo na ex-mulher em Santo André, no ABC Paulista, na noite dessa quarta-feira (26). Segundo a polícia, o suspeito é o segurança Edilson dos Reis Bispo, que está foragido. A vítima, Josefa Paula Renata, de 31 anos, está internada em estado grave no Hospital das Acácias.

Leia também: Após discutir com o marido, grávida cai do segundo andar em São Vicente

As imagens de câmeras de segurança do bairro mostram que Edilson foi até o local de trabalho da ex-mulher, que é enfermeira no hospital em que está internada, no bairro Silveira em Santo André , e ofereceu uma carona em sua moto. Ela aceitou e, ao chegar na esquina, Edilson jogou um líquido inflámavel, colocou fogo na vítima e fugiu. 

Em depoimento, Josefa disse que Edilson ofereceu a carona com o pretexto de conversar a respeito do antigo relacionamento e dos dois filhos. Ela também disse que ele não pareceu estar nervoso em nenhum momento e que não houve discussão entre eles.

Leia também: "Não quero vingança, mas justiça", diz advogada agredida pelo ex-namorado em GO

A Polícia Militar chegou a ser acionada por causa de uma briga de casal, mas antes de chegar ao local, foi informada de que o homem havia ateado fogo na ex-mulher . Josefa foi socorrida por moradores da região e colegas de trabalho e teve queimaduras de primeiro e segundo grau no rosto, tórax e braço. 

Segundo a polícia, o ex-marido não aceitava o fim do relacionamento, que durou dez anos, mas não dava sinais de que poderia atacá-la. Eles não estavam juntos há mais de um mês. Após o ocorrido, a vítima informou o endereço da residência do ex-marido aos policiais, mas ele ainda não foi encontrado. Parentes disseram que Edilson saiu sem avisar para onde iria. 

Leia também: Seis mulheres são mortas a cada hora por feminicídio, segundo relatório da ONU

O número de casos de feminício em São Paulo praticamente dobrou neste ano: somente na capital paulista, foram 21 episódios em 2018, contra os 11 registrados no ano passado. O caso foi registrado como tentantiva de feminicídio e violência doméstica no 1º DP de Santo André e será encaminhado para 3º DP da cidade, responsável pela área.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.