Procurador-geral da República, Augusto Aras
Pedro França/ Agência Senado
Procurador-geral da República, Augusto Aras


Em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que já instaurou 25 apurações preliminares contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) ao longo dos últimos 12 meses. Aras se posicionou no âmbito de mais um pedido de investigação apresentado por deputados de oposição contra o chefe do Executivo.


Os parlamentares querem que a Corte apure a conduta do presidente na live feira no dia 29 de julho, uma das ocasiões em que ele atacou o sistema eleitoral. Foi neste contexto que Aras justificou já ter aberto 25 notícias de fato, nome técnico dado às apurações preliminares, contra Bolsonaro. 


Segundo o Poder 360, críticos da atuação do PGR afirmam que Aras tem utilizado o instrumento como  manobra para evitar a abertura de inquéritos formais contra o presidente. Em meio a isso, em novembro, a ministra Cármen Lúcia determinou que o procurador-geral apresentasse as informações sobre a apuração da live sob o argumento de que qualquer ato da Procuradoria que exclua a supervisão do STF não tem respaldo legal.


De acordo com a publicação, em resposta, Aras disse que a abertura de procedimentos preliminares visa justamente evitar que a Corte seja sobrecarregada com pedidos de investigação considerados infundados ou apócrifos. No parecer atual, em que ele informa a existência das 25 notícias de fato, também não há especificações sobre o andamento dessas investigações.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários