Garoto de 14 anos João Pedro Mattos Pinto
Reprodução Redes Sociais
Garoto de 14 anos João Pedro Mattos Pinto foi morto em casa durante operação policial

A morte do garoto João Pedro , de 14 anos, na noite da última segunda-feira (18), foi denunciada à Organização das Nações Unidas ( ONU ) e à Organização dos Estados Americanos ( OEA ).

Leia mais:  Família de João Pedro diz que policiais levaram celulares de jovens na casa

Além deste caso, outras 13 mortes de moradores de favelas no Rio foram incluídas no relatório enviado às organizações. Todos os casos enviados, incluindo o de João Pedro, estão relacionados com operações policiais . As informações já estão com a Comissão Interamericana de Direitos Humanos .

A denúncia foi encaminhada pelo deputado federal Marcelo Freixo e a deputada Renata Souza , ambos do PSOL/RJ. Por meio do Twitter, o deputado comentou que devem ser feitas investigações imparciais e urgentes sobre o caso.

“Eu e a Renata Souza entramos com uma representação na Comissão de Direitos Humanos, na ONU, para cobrar uma investigação imparcial sobre o assassinato do menino João Pedro, em São Gonçalo. O que aconteceu é uma barbaridade e os culpados precisam responder por esse crime”, comentou.

Para relembrar

O adolescente João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos , foi atingido por um tiro de fuzil na barriga na tarde de segunda-feira (18) , durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro. Ele foi socorrido por um helicóptero da Polícia Militar, mas a família não foi avisada sobre a unidade de saúde que o garoto foi levado. Foram horas de desespero até que, na manhã da terça-feira (19), o corpo de João Pedro foi localizado no Instituto Médico-Legal de São Gonçalo por alguns parentes. Nesta própria terça-feira, agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) realizam uma nova operação no Salgueiro.

    Veja Também

      Mostrar mais