Tamanho do texto

A segunda morte foi no Tijuca Tênis Clube, na zona norte do Rio, onde Andreia Cristina Duarte Gouveia passou mal e acabou falecendo

Mesário morreu enquanto trabalhava no Centro Federal de Educação Tecnológica de Nova Iguaçu (Cefet)
Cefet/RJ
Mesário morreu enquanto trabalhava no Centro Federal de Educação Tecnológica de Nova Iguaçu (Cefet)

A diretora-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), Adriana Brandão, confirmou que um segundo mesário morreu no Estado. Pela manhã, um mesário também havia morrido durante o 2º turno das eleições para governador e presidente no estado do Rio de Janeiro.

Leia também: Jungmann espera que voto do eleitor seja respeitado: "faz parte da democracia"

A segundo mesário morreu na Tijuca Tênis Clube, na zona norte do Rio, onde Andreia Cristina Duarte Gouveia passou mal e foi socorrida pela unidade de pronto atendimento do bairro. Ela era mesária da Seção 140, tinha 51 anos e sofreu um infarto. 

Mais cedo, o TRE havia informado que o mesário João Carlos Félix, de 50 anos, também morreu vítima de um ataque cardíaco. Ele trabalhava na 156ª zona eleitoral, localizada no Centro Federal de Educação Tecnológica de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Leia também: Para demonstrar apoio aos candidatos à Presidência, eleitores usam criatividade

Rio de Janeiro tem prisões

Segundo o TRE-RJ, processo de votação no estado do Rio ocorre tranquilamente; mesário teve parada cardíaca
Jr./ ASICS/ TSE
Segundo o TRE-RJ, processo de votação no estado do Rio ocorre tranquilamente; mesário teve parada cardíaca


Segundo o TRE-RJ, a eleição no estado do Rio de Janeiro teve quatro pessoas presas por crimes eleitorais. Três prisões foram em Aperibé, cidade do interior fluminense em que ocorre também eleição suplementar para prefeito.

Leia também: TSE já registra 1.956 substituições de urnas eletrônicas e 35 prisões

A quarta prisão foi em Miguel Pereira, outra cidade do interior do estado do Rio. Entre os motivos das prisões estão boca de urna, divulgação de propaganda eleitoral e compra de voto.

Segundo o Tribunal, 404 urnas foram substituídas no estado até o momento, cerca de metade delas na cidade do Rio de Janeiro.

O caso do mesário que morreu vai ser investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.