Tamanho do texto

Novo boletim, divulgado às 17h pela Justiça Eleitoral, relata ainda votação manual em quatro seções, em Minas , Amazonas, na Bahia e no Rio de Janeiro

Mais de 4 mil substituições de urnas eletrônicas foram registradas pelo TSE no segundo turno das eleições
Tânia Rego/Agência Brasil - 26.10.2014
Mais de 4 mil substituições de urnas eletrônicas foram registradas pelo TSE no segundo turno das eleições

Até as 17h deste domingo (28) de segundo turno, 4.333 substituições de urnas eletrônicas foram registradas pelo TSE ( Tribunal Superior Eleitoral ) por conta de defeitos.

Leia também: Com segurança reforçada, Jair Bolsonaro vota no Rio de Janeiro

De acordo com o TSE, o número de substituições de urnas eletrônicas representa 0,83% do total de 454,4 mil urnas utilizadas no pleito desde ano. Os problemas técnicos levaram quatro seções a adotarem votação manual em Apuí (AM), Saubara (BA), Cordislândia (MG) e Magé (RJ).

O estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do País, registrou o maior número de substituições até o momento: 812. Proporcionalmente ao número total de urnas eletrônicas na unidade da Federação, a maior porcentagem de substituição de equipamentos se deu em Sergipe: 1,66% (109) das 6.583 urnas foram substituídas.

Problemas além das substituições de urnas eletrônicas

Substituições de urnas eletrônicas não são o único problema registrado pelo TSE neste segundo turno
Marcelo Camargo/Agência Brasil 28.10.2018
Substituições de urnas eletrônicas não são o único problema registrado pelo TSE neste segundo turno

A Justiça Eleitoral também registrou 179 prisões por propaganda eleitoral , que é proibida no dia da eleição. As prisões foram registradas no Ceará, Distrito Federal, Pará, na Paraíba, em Pernambuco, no Paraná, em Santa Catarina e São Paulo.

Tentar convencer um eleitor a votar ou não em um candidato é proibido. A propaganda de boca de urna também não é permitida. São consideradas boca de urna, por exemplo, a distribuição de panfletos e santinhos de candidatos, a aglomeração de pessoas usando roupas uniformizadas ou manifestações nas proximidades das zonas eleitorais. Uso de alto-falantes, caixas de som, comícios e carreatas é outra proibição.

Leia também: Haddad vota sob clima de esperança em SP: "Vamos lutar até o último minuto"

O eleitor, porém, pode demonstrar a preferência por um candidato, desde que seja de maneira individual e silenciosa. São permitidas bandeiras sem mastro, broches ou adesivos no local de votação. Uso de camisetas foi liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O eleitor poderá usar a camiseta com nome de seu candidato preferido, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele. A camiseta não pode ser distribuída pelo candidato.

Neste segundo turno que já registra  substituições de urnas eletrônicas , os eleitores de 13 estados e do Distrito Federal  foram às urnas para escolher os governadores e vices e o futuro presidente da República. Nos outros 13 estados, as eleições para o governo estadual foram definidas no primeiro turno, e os eleitores vão votar somente para presidente.

*Com informações da Agência Brasil