Tamanho do texto

Renata Souza, Dani Monteiro e Mônica Francisco foram assessoras da vereadora Marielle Franco e assumem como deputadas estaduais na Alerj

Ex-assessoras de Marielle Franco vão compor a nova bancada da Alerj
Reprodução/Facebook Psol Rio
Ex-assessoras de Marielle Franco vão compor a nova bancada da Alerj


Três mulheres que trabalhavam como assessoras da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março, foram escolhidas para assumirem cargos na Assembleia Lesgislativa do Rio de Janeiro (Alerj) em 2019.

Leia também: Biotipo de assassino de Marielle Franco é identificado, dizem investigadores 

Renata Souza, Dani Monteiro e Mônica Francisco estão entre a bancada do PSOL no Estado, que tem cinco cadeiras. O trio, que vem de comunidades da periferia da zona norte da capital fluminense, promete continuar o trabalho de Marielle Franco com direitos humanos.

"Era uma coisa pensada talvez para o horizonte de 2020, com uma construção gradual, como tem que ser" explicou Mônica, que acredita que não teriam se candidatado neste ano, ainda, se a vereadora estivesse viva. “A execução da Marielle precipita esse processo”.

Entre as pautas das futuras deputadas estaduais estão medidas que contribuam para a superação das desigualdades sociais e um olhar especial para comunidades da periferia.

Leia também: Caso Marielle Franco completa seis meses e segue sem respostas

Renata foi a candidata mais votada da bancada do PSOL , com 63.937 mil votos, conquistando a nona colocação entre os 70 eleitos. Mônica obteve 40.631 votos e Dani, 27.982.

O trio faz parte da ampliação da representação feminina na Assembleia – que passará de oito parlamentares para 11 – e também ficará encarregado de ampliar a representação negra, que sai de 12 para 22. Mônica, Renata e Dani são metade das mulheres negras eleitas (que são seis) enquanto, atualmente, só há duas.

Deputado mais votado destruíu homenagem à Marielle Franco

Marielle Franco virou símbolo para a esquerda brasileira
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 15.3.18
Marielle Franco virou símbolo para a esquerda brasileira


O deputado mais votado para compor a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro é Rodrigo Amorim, do PSL, que conquistou 140.666 dos votos. Junto com outros 12 nomes eleitos pela sigla, eles integrarão a maior bancada do Estado.

A legenda do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, conseguiu formar a maior bancada da Alerj: foram 13 novos deputados eleitos.

Amorim ficou conhecido por ter destruído uma placa em homenagem à ex-vereadora Marielle Franco nos últimos dias de campanha do primeiro turno, e se autointitula "um soldado de Flávio Bolsonaro".

Leia também: PT e PSL são os partidos que mais elegeram deputados; veja como ficou a Câmara 

Além da destruição da homenagem à Marielle Franco, que virou símbolo da esqueda brasileira, o futuro deputado estadual também afirmou que, se depender dele, "a esquerda terá dias muito difíceis na Alerj" .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.