União de PT e PSDB será destaque em seminário nacional do PSB

Marcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte, irá expor iniciativas de sua gestão, que tem tucanos e petistas

Denise Motta, iG Minas Gerais |

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), será um dos destaques de encontro promovido pelo seu partido em Brasília, no próximo final de semana. Lacerda chegará ao encontro na sexta-feira (30) com prestígio de ter garantido a reedição de aliança entre sua legenda e os petistas para disputar reeleição em outubro.

O PSB também já convidou formalmente o PSDB para fazer parte da base de apoio da sua candidatura, apesar de o PT ter sugerido aos socialistas para reijeitarem a participação dos tucanos na coligação

O encontro na capital federal reunirá os caciques do PSB e será comandado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB.

Chamado “Compartilhando Experiências”, o seminário nacional é voltado a futuros candidatos nas eleições deste ano e acontece no auditório Planalto, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Na sua exposição, Lacerda irá falar sobre iniciativas de sua gestão. Entre os ocupantes de cargos de primeiro escalão, ele tem, na prefeitura, petistas e tucanos. A secretaria de Esportes e Juventude, por exemplo, reúne nomes do PSDB e do PCdoB .

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, irá discorrer sobre a construção de um programa de governo para os pré-candidatos. Já no dia 31, sábado, o painel será a respeito de estratégias de marketing político e eleitoral.

Para Mário Assad, integrante mineiro do Diretório Nacional do PSB, a decisão do PT de aliar-se novamente ao prefeito da capital pode ter reflexo em outros Estados, mas caberá aos dirigentes regionais autonomia para decidir o que será melhor. Em São Paulo, por exemplo, o PSB de Campos só definirá quem irá apoiar em junho , conforme disse o próprio presidente nacional do partido.

“Manter a composição é uma situação excelente e tem repercussão nacional. É uma situação positiva, naturalmente, mas cada cidade tem sua particularidade”, comentou Assad.

Para o presidente estadual do PSDB, a composição do PSB com os tucanos é positiva. Ele diz torcer para que haja também uma convergência entre os dois partidos em São Paulo, onde o ex-governador José Serra venceu no final de semana prévias para disputar a prefeitura neste ano. Pestana ainda comentou que as prévias na capital paulista são um “exercício revitalizante de democracia” e que o lançamento do nome de Serra impediu que o PSD desse um passo em direção ao PT, ao Lula e à Dilma. “Ficou aberta uma porta para que o PSD dialogue com o PSDB no futuro”.

O dirigente tucano disse que agora é preciso dar um tempo para “as coisas se acalmarem”, uma vez que a decisão do PT de aliar-se novamente à Lacerda teve votação apertada, no último final de semana . Ele destacou que a vaga de vice nunca esteve entre as prioridades dos tucanos e que o momento, agora, é de atrair mais aliados para a composição eleitoral na capital mineira.

O atual vice de Lacerda, Roberto Carvalho (PT), defende a candidatura própria do PT e, portanto, não será indicado novamente para o posto. Entre os nomes cotados para substituir Carvalho estão os do deputado estadual André Quintão e do federal Miguel Corrêa Júnior. O primeiro é ligado ao grupo do ex-ministro Patrus Ananias e o segundo ao atual ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel.

    Leia tudo sobre: ptpsdbpsbeleições2012marcio lacerdaeleiçõesmg

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG