Segundo informações da Folha de S. Paulo, Paulo Roberto Costa declarou que mandou dinheiro a Sérgio Guerra

Em depoimento prestado ao Ministério Público Federal, o ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa tentou pagar propina ao ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra a esvaziar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que tentava investigar a empresa. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de São Paulo.

Em 2009, o Congresso começou uma investigação para apurar irregularidades na Petrobras mas, conforme informações prestadas por Costa aos investigadores, ele tomou providências para que dinheiro chegasse ao ex-presidente do PSDB e um dos principais membros da oposição com o intuito de esvaziar a investigação dos parlamentares.

Paulo Roberto Costa, ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras
Reuters
Paulo Roberto Costa, ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras

Apesar disso, conforme as informações prestadas por ele ao Ministério Público, Costa não soube informar se a propina de fato chegou ao ex-presidente do PSDB. Na época, as investigações incomodaram o PT, mas também a partidos aliados como o PMDB, PP, entre outros.

A investigação, na época, foi arquivada após quatro meses de investigações. Os senadores do PSDB esvaziaram as investigações alegando, principalmente, que o Governo Federal tentava comandar os focos do processo de apuração das denúncias.

Leia mais: 
- PT processa ex-diretor da Petrobras e pede divulgação da íntegra dos depoimentos
- Advogados pedem punição de juiz que abriu depoimentos da Lava-Jato
-
Lindberg Farias nega que ex-diretor da Petrobras tenha atuado em campanha no RJ

Na época, conforme o depoimento de Paulo Roberto Costa, também havia o medo de que empresas ligadas à Petrobras pudessem ser citadas na CPI. Por isso, havia um movimento articulado para tentar esvaziar a investigação.

Durante a CPI, os parlamentares apuraram denúncias de superfaturamento da Refinaria Abreu e Lima, um dos projetos mais importantes da administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota oficial, PSDB disse apenas que defende que todas as denúncias sejam investigadas independente de filiações partidárias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.