Dilma cai sete pontos e tem 37% das intenções de voto, diz pesquisa

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Intenções de voto na presidente caíram de 43,7% em fevereiro para 37% em abril. Aécio ganhou cinco pontos e Campos, dois

A presidente Dilma Rousseff perdeu sete pontos percentuais das intenções de voto no primeiro turno, de acordo com pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira (29) pela Confederação Nacional dos Transportes. O levantamento aponta que aumentam as chances de a disputa eleitoral ir para o segundo turno. 

Cai avaliação positiva do governo Dilma, diz pesquisa

Segundo a pesquisa, em um cenário apenas com os principais candidatos, a presidente teria 37% das intenções de voto, se as eleições fossem hoje. Em fevereiro, esse percentual era de 43,7%. O senador Aécio Neves (PSDB) cresceu de 17% para 21,6% e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) de 9,9% para 11,8%. O percentual dos eleitores que pretendem votar nulo ou em branco ficou estável, antes eram 20,4% e agora são 20% dos entrevistados.

Em um cenário com os candidatos menores, a petista teria 36,5% das intenções de voto, Aécio aparece com 21,5% e Campos surge em terceiro, com 11,2%. José Maria Eymael (PSDC) tem 0,6% e Levy Fidélix (PRTB) e Randolfe Rodrigues (PSOL) têm 0,4% das intenções de voto, cada um. Brancos e nulos somam 19,2% e eleitores que não sabem ou não responderam, 10,2%. 

Veja os principais momentos da presidente no ano passado

Dilma confessa que 'anda fugindo' e admite passeio de moto por Brasília. Foto: Marcelo Camargo/ABr Dilma termina o ano em alta nas pesquisas. Aprovação ao governo vai a 43%. Foto: Futura PressDiante das manifestações de junho, Dilma se reúne com MPL e propõe pacto pelo Brasil. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Dilma anuncia o Mais Médicos, programa que prevê contratação de médicos estrangeiros. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Dilma teve uma relação difícil com o Congresso e, pressionada, passou a se reunir mais com os aliados. Foto: Agência BrasilAlvo de espionagem dos EUA, Dilma cancela viagem ao país e exige explicação de Obama. Foto: APNa ONU, Dilma diz que espionagem é 'afronta' e 'fere direito internacional'. Foto: APO aliado PSB desembarca do governo Dilma por candidatura de Eduardo Campos em 2014. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Dilma reativa perfil em rede social com entrevista para Dilma Bolada. Foto: Reprodução/InstagramDilma recebe apoio do PSD de Kassab, mas partido evita falar em ministério. Foto: Beto Nociti/Futura Press


Segundo turno

Em relação ao segundo turno, diminuiu a diferença entre a atual presidente e os seus principais oponentes. Em fevereiro deste ano, Dilma tinha 46,6% contra 23,4% de Aécio Neves. No atual cenário, a petista caiu para 39,2% e o candidato tucano subiu para 29,3%.

A diferença diminuiu, ainda, contra Eduardo Campos – em fevereiro, Dilma tinha 48,6% das intenções de voto e caiu para 41,3%, enquanto o ex-governador pernambucano cresceu de 18% para 24%.

Dilma também piorou o seu desempenho no quesito limite de voto. Segundo a pesquisa, o percentual de entrevistados que votariam apenas na atual presidente diminuiu de 26,7% para 23,2%. Por outro lado, o número de eleitores que não votariam em Dilma de jeito nenhum aumentou de 37,3% para 43,1%. Outros 29,4%, contra 31,4% em fevereiro, disseram que ela é uma candidata em que poderiam votar.

De 20 a 25 de abril, a Pesquisa CNT/MDA entrevistou 2.002 pessoas, em 24 unidades de federação, nas cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com 95% de nível de confiança. 

Leia tudo sobre: pesquisadilmaeleiçãoeleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas