Possibilidade de o colegiado passar para as mãos de Bolsonaro gerou protestos na Câmara na semana passada

O PT assumirá o comando da Comissão de Direitos Humanos na Câmara no lugar do PSC, que no ano passado colocou o pastor e deputado federal Marco Feliciano (SP) na vaga. A presidência de Feliciano, acusado de declarações racistas e homofobia, provocou manifestações tanto no Congresso quanto nas ruas. A bancada do PT se reunirá para definir o nome do partido que ficará com o cargo.

Jovens rejeitam possibilidade de Bolsonaro presidir Comissão de Direitos Humanos

A possibilidade de o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) assumir a Comissão de Direitos Humanos gerou protestos e mobilização na Câmara na semana passada. Com cartazes e palavras de ordem onde se lia "+ amor e - Bolsonaro", as integrantes da União da Juventude Socialista (UJS) trocaram beijos no corredor da presidência da Câmara.


"Não somos héteros, nem lésbicas, somos livres. Conversamos com o deputado Vicentinho , queremos chamar os partidos à responsabilidade para que a comissão não caia em mãos erradas. Bolsonaro é inimigo dos direitos humanos" disse Maria das Neves. Para ela, Bolsonaro é um "filhote da ditadura, homofóbico, racista e fascista". Em resposta, Bolsonaro provocou os manifestantes: "Minoria tem que se calar, se curvar à maioria".

O PT também ficará com as presidências das comissões de Saúde e Constituição e Justiça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.