Papa aceita renúncia de bispo americano pai de duas crianças

Conhecido por sua luta contra a pena de morte, bispo auxiliar de Los Angeles é pai de menores que vivem com mãe fora da Califórnia

AFP |

O bispo auxiliar de Los Angeles (Estados Unidos), monsenhor Gabino Zavala, de 60 anos, conhecido por seu engajamento contra a pena de morte, entregou seu pedido de renúncia ao papa Bento 16 por ser pai de dois filhos.

Getty Images
Mexicanos-americanos participam de missa liderada pelo bispo Gabino Zavala em Los Angeles, Califórnia, em 31/3/2005
"O Santo Padre aceitou a renúncia do cargo de bispo auxiliar da Arquidiocese de Los Angeles apresentada por monsenhor Gabino Zavala, bispo titular de Tamascani", informou na terça-feira um breve comunicado do Vaticano.

A renúncia antecipada do bispo Zavala foi aceita pelo pontífice, de acordo com o código de direito canônico 411 e 401,2. Os códigos mencionados estabelecem as normas para a renúncia de um religioso de seu cargo "por motivos de saúde ou faltas graves", mas o Vaticano nunca menciona a razão precisa da renúncia.

O arcebispo de Los Angeles, monsenhor Joser H. Gomez, publicou uma curta mensagem aos fiéis da diocese para comunicar "uma informação triste". "O arcebispo auxiliar me informou no início de dezembro que era pai de dois adolescentes, ainda menores de idade, que viviam com a mãe em outro Estado dos Estados Unidos", escreveu.

"Zavala, depois desse momento, não exerceu mais seu ministério e viverá de maneira privada", explicou. "A arquidiocese entrou em contato com a mãe das crianças para lhe dar apoio espiritual e uma contribuição financeira para ajudar com os custos de educação", acrescentou o arcebispo Gomez. O arcebispo não forneceu a identidade da família, alegando querer preservar sua privacidade.

Monsenhor Zavala, nascido no Estado mexicano de Guerrero, cresceu em Los Angeles, onde foi ordenado padre em 1977 e era considerado um dos bispos latinos mais influentes dos EUA.

Zavala também presidia o Pax Christi Usa, movimento católico a favor da paz, e era muito comprometido com a luta contra a pena de morte nos EUA e com a defesa dos direitos dos homossexuais e imigrantes, sobretudo os de origem latina.

A igreja católica nos EUA foi duramente atingida desde 2002 com a revelação de um vasto escândalo de pedofilia que levou muitos bispos e sacerdotes a renunciar. O papa Bento 16 também pediu mais rigor para os sacerdotes e religiosos que são gays ou casados, convidando aqueles nessa situação a optar pela renúncia.

    Leia tudo sobre: papabento 16vaticanoigreja católicaGabino Zavala

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG