Jornalista inglês Glenn Greenwald, que mantém contato com Snowden, deve falar ao Congresso nos próximos dias

Agência Estado

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem, instalada na semana passada no Senado, deve pedir autorização ao governo russo para visitar o ex-analista da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden. O jornalista inglês Glenn Greenwald, que mantém contato com Snowden e tem divulgado informações sobre as ações de espionagem do governo norte-americano, também deve prestar informações à comissão nos próximos dias.

Leia também: Suposta espionagem dos EUA tem motivação econômica, diz Dilma em nota
Reunião com Rice: Chanceler brasileiro viaja aos EUA para ouvir explicações

Imagem fornecida pela HRW mostra Edward Snowden em coletiva no aeroporto de Sheremetyev, na Rússia
AP
Imagem fornecida pela HRW mostra Edward Snowden em coletiva no aeroporto de Sheremetyev, na Rússia

"Vamos pedir documentos a Glenn, mas temos que tomar cuidado com a segurança jurídica dele", afirmou a presidente da CPI, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). As informações reveladas no último domingo, 8, pelo programa Fantástico, da Rede Globo, de que os Estados Unidos têm monitorado informações da Petrobras já eram esperadas pela senadora. "A novidade é que o fato veio à tona com documentos. Não é novidade que as empresas sejam alvos prioritários", disse.

Além de Glenn, empresas de segurança da informação também devem ser chamadas à CPI para explicar como são realizados os processos de espionagem pela internet.

Edward Snowden deixou os Estados Unidos após ter vazado informações sobre o programa de espionagem da NSA. Inicialmente, a agência justificou a coleta de telefonemas americanos como parte de esforços de espionagem contra o terrorismo. Nesta segunda-feira, 9, admitiu angariar informações para prevenir que crimes financeiros possam afetar os mercados internacionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.