Favorito, "A Grande Beleza" pode dar nova vitória para a Itália no Oscar

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Com 13 prêmios até agora, país é campeão da categoria filme estrangeiro; filme do diretor Paolo Sorrentino mostra influência de Federico Fellini

Reuters

Enquanto a votação do Oscar entra na reta final, "A Grande Beleza" representa historicamente as produções italianas, que fizeram do país o maior vencedor na categoria de melhor filme estrangeiro.

Crítica: "A Grande Beleza" atesta maturidade de Sorrentino

O ambicioso drama dirigido por Paolo Sorrentino lembra produções como "A Doce Vida" e "8 1/2", de Federico Fellini, ao retratar a alta sociedade de Roma e os temores existenciais de um artista.

Divulgação
Imagem do filme 'A Grande Beleza'

"Fellini foi sem dúvida uma grande influência para mim", afirmou Sorrentino por meio de um intérprete em Roma, antes de sua partida para a cerimônia do Oscar, no dia 2 de março, em Los Angeles.

"Eu tentei não imitá-lo, mas é provável que ele esteja profundamente arraigado em meu subconsciente", acrescentou. "Há similaridades. Contudo, o mundo de hoje é diferente, e portanto meu filme também é diferente."

Saiba tudo sobre o Oscar

Fellini venceu o prêmio de melhor filme estrangeiro quatro vezes, mais do que qualquer outro diretor.

"A Grande Beleza" vem sendo considerado por analistas como o filme favorito para a estatueta. Seus rivais são "A Caça", da Dinamarca; "Alabama Monroe", da Bélgica; "The Missing Picture", de Camboja; e "Omar", da Palestina.

Se a produção italiana vencer, como ocorreu no Globo de Ouro e no BAFTAs, a principal premiação cinematográfica britânica, será a 14ª vitória italiana na categoria do Oscar.

"A Grande Beleza" começa em uma grande festa de 65 anos de Jep Gambardella, interpretado por Toni Servillo, e acompanha a reflexão do escritor sobre sua busca de um significado para a alta sociedade de Roma.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas