Máfia, câmera lenta, Nova York: as marcas do cinema de Martin Scorsese

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Veja quais são os elementos típicos da filmografia do diretor de "O Lobo de Wall Street"

Um dos mais celebrados diretores de todos os tempos, Martin Scorsese volta aos cinemas nesta sexta-feira (24) com "O Lobo de Wall Street", a quinta parceria com o ator Leonardo DiCaprio.

AP
O diretor Martin Scorsese, que volta aos cinemas com 'O Lobo de Wall Street'

Indicado em cinco categorias do Oscar, o filme carrega algumas das principais marcas de Scorsese: é longo (três horas de duração), faz uso de câmera lenta e imagens congeladas, se passa em Nova York e retrata um mundo marcado por crimes (no caso, financeiros) e corrupção.

Veja as principais características do cinema de Martin Scorsese.

Crime e violência

Scorsese tem especial interesse pelo mundo das ruas e do crime, marcado por gangues, autoridades corruptas e a atuação da máfia, que é tema de filmes como "Caminhos Perigosos", "Os Bons Companheiros", "Cassino" e "Os Infiltrados".

Como consequência, os longas do diretor têm muitas cenas de violência e uso de armas de fogo. Palavrões também não faltam, e "O Lobo de Wall Street" ficou famoso por quebrar o recorde de uso da palavra "fuck" em um filme: 506 vezes.

Descendente de italianos católicos que se mudaram para Nova York, Scorsese também costuma retratar a vida das comunidades ítalo-americanas e discutir questões como culpa e religião.  

Divulgação
A partir da esquerda, sentido horário: 'Os Bons Companheiros', 'Taxi Driver', 'Touro Indomável' e 'Os Infiltrados'





Nova York

Muitos filmes de Scorsese se passam em sua cidade natal, Nova York. O diretor nasceu no bairro do Queens e antes de começar a escola mudou-se para Little Italy, área de Manhattan com forte presença de imigrantes italianos.

O interesse pelo universo das ruas faz com que a Nova York de Scorsese seja muitas vezes obscura, violenta, distante dos cartões postais. Entre os filmes do diretor que se passam na cidade estão "Quem Bate à Minha Porta?", "Caminhos Perigosos", "Taxi Driver", "Touro Indomável", "Depois de Horas", "New York, New York", "Vivendo no Limite", "Gangues de Nova York" e "O Lobo de Wall Street".

Divulgação
Imagem do filme 'New York, New York', de 1977

Tracking shot, câmera lenta, imagem congelada

Formalmente, também é fácil reconhecer um filme de Scorsese. Dois dos recursos favoritos do diretor são a câmera lenta e a imagem congelada na tela, como se fosse uma fotografia. Muitos de seus filmes também têm narração.

Scorsese já foi chamado de "o rei do tracking shot", tipo de filmagem, também conhecida como travelling, na qual a câmera acompanha o movimento de um ator ou objeto, movendo-se junto com ele. O recurso foi utilizado com maestria em filmes como "Taxi Driver", "Touro Indomável", "Cassino", "Gangues de Nova York" e "Hugo". A mais famosa "tracking shot" de Scorsese, porém, é a de "Os Bons Companheiros". Veja no vídeo abaixo:

Filmes longos

Com 180 minutos de duração, "O Lobo de Wall Street" é o filme mais longo de Scorsese - e olha que o diretor tem vários outros trabalhos de fôlego. Completam o top 5 "Cassino" (178 minutos), "O Aviador" (160), "Gangues de Nova York" (167) e "A Última Tentação de Cristo" (164).

Cena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'O Lobo de Wall Street'. Foto: Divulgação

Momentos musicais

Scorsese dirigiu ótimos documentários sobre nomes como The Band, Rollings Stones e Bob Dylan, e inseriu vários clássicos do pop e do rock em seus filmes de ficção. Entre os momentos musicais mais marcantes da obra do diretor estão "And Then He Kissed Me" (The Crystals), trilha sonora da "tracking shot" de "Os Bons Companheiros", e "Be My Baby" (Ronettes) tocada logo na abertura de "Caminhos Perigosos".

Os Stones são os preferidos de Scorsese, que usou "Gimme Shelter" em três filmes: "Os Bons Companheiros", "Cassino" e "Os Infiltrados". Mais marcante, porém, é o uso de "Jumping Jack Flash" em "Caminhos Perigosos", na cena em que o personagem de Robert De Niro entra no bar. Assista:

Atores repetidos

Dois atores são imediatamente identificados por seu trabalho com Scorsese: Robert DeNiro e Leonardo DiCaprio.

O primeiro estrelou oito filmes do diretor: "Caminhos Perigosos", "Taxi Driver", "New York, New York", "Touro Indomável", "O Rei da Comédia", "Os Bons Companheiros", "Cabo do Medo" e "Cassino". DiCaprio fez cinco: "Gangues de Nova York", "O Aviador", "Os Infiltrados", "Ilha do Medo" e "O Lobo de Wall Street".

Outros atores que também costumam trabalhar com Scorsese são Victor Argo e Harry Northrup, que fizeram seis filmes com o diretor, e Harvey Keitel e Murray Moston, que participaram de cinco.

Divulgação/HFPA
Martin Scorsese entre os atores Robert De Niro e Leonardo DiCaprio

Cameos

Scorsese costuma fazer pequenas aparições em seus filmes, as chamadas "cameos". Ele interpretou, por exemplo, um diretor de TV em "O Rei da Comédia", um eletricista em "Depois de Horas', um fotógrafo em "A Época da Incocência" e um passageiro de Travis Bickle em "Taxi Driver".

Divulgação
Cameo de Scorsese em 'Taxi Driver'

Pop stars

Estrelas da música também costumam participar dos filmes de Scorsese. Entre eles Iggy Pop, que apareceu em "A Cor do Dinheiro"; David Bowie, que teve papel em "A Última Tentação de Cristo"; Gwen Stefani, que interpretou Jean Harlow em "O Aviador"; Kris Kristofferson, um dos destaques de "Alice Não Mora Mais Aqui"; e os integrantes do Clash, que fizeram "cameo" em "O Rei da Comédia".

Divulgação
A partir da esquerda, sentido horário: David Bowie, The Clash, Kris Kristofferson e Gwen Stefani em filmes de Scorsese


Leia tudo sobre: martin scorsesecinemao lobo de wall street

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas