Longa de Luiz Bolognesi conquista a maior distinção do consagrado Festival de Annecy, na França

O brasileiro "Uma História de Amor e Fúria", dirigido por Luiz Bolognesi, ganhou o prêmio de melhor filme no Festival de Annecy. Criado em 1960 na França, o evento é conhecido como o "Cannes da animação".

Leia também: "Uma História de Amor e Fúria" segue "super-herói" brasileiro

A vitória de "Uma História de Amor e Fúria" marca também a primeira vez que uma animação brasileira foi selecionada para concorrer ao prêmio principal, em 53 anos do evento.

Na edição deste ano, mais de 2,5 mil desenhos animados foram inscritos, com 13 escolhidos para a mostra paralela e nove para a competitiva. Em edições anteriores, o Annecy premiou longas como "Coraline e "Mary e Max".

Siga o iG Cultura no Twitter

Selton Mello dubla o protagonista de "Uma História de Amor e Fúria", uma viagem pela história do Brasil. Ele começa como um índio tupinambá, vira um negro líder da Balaiada, um branco da luta armada contra a ditadura e um homem desiludido, cansado de lutar, no Rio de Janeiro futurista de 2096.

Em todas as suas vidas, encontra Janaína (voz de Camila Pitanga), a mulher que ama há 600 anos, guerreira como ele. Em algumas partes da trama, seu antagonista – seja o cacique tupinambá ou o namorado de Janaína na década de 1960 – ganha a voz de Rodrigo Santoro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.