BR-381, que liga BH a São Paulo, é considerada a mais perigosa do Estado

Com a maior malha rodoviária do País, Minas Gerais contabilizou neste ano mais de 22.300 acidentes, em período de janeiro até 31 de outubro. Os dados são os mais recentes divulgados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e dizem respeito apenas às rodovias federais.

Neste mesmo período, pelo menos 1.091 pessoas perderam suas vidas por causa dos acidentes nas estradas federais de Minas, sendo a maior parte na BR-381.

Uma estrada, vários erros: Rodovia coleciona equívocos no Ceará

Rodovia da morte: Cercada por cidades, BR-316 no Pará é a mais perigosa do País

Perigo concentrado: Região Sul do Brasil tem mais trechos perigosos em estradas

Conhecida como Rodovia Fernão Dias, no trecho que liga a Grande São Paulo à Grande Belo Horizonte, a BR-381 é uma das mais perigosas do país. Nela, apenas em 2011, pelo menos 229 pessoas morreram e outras 967 ficaram gravemente feridas, em Minas Gerais. Os dados são de janeiro a outubro.

As causas apontadas para tantos acidentes pelas autoridades são a imprudência, imperícia e negligência de motoristas, aliadas ao aumento frequente da frota de veículos. De acordo com informações da chefe de comunicação da PRF de Minas, Fabrizia de Pinho Nicolai, nos últimos anos ocorre uma tendência de haver mais acidentes na 381, em trechos de zonas urbanas. Levantamento da PRF mineira indica que entre os trechos rodoviários mais perigosos estão, em primeiro e segundo lugares, dois trechos da BR-381 pertencentes às cidades de Contagem e de Betim, na Grande Belo Horizonte. Compreendem, respectivamente, entre os quilômetros 480 e 490, e 490 a 500.

Saiba mais: Trecho de rodovia que mais matou no País coleciona erros no Ceará

“Hoje, os acidentes estão concentrados em rodovias de zonas urbanas. A pessoa sai para trabalhar em uma cidade vizinha e o fluxo de veículos é constante, o dia inteiro, e com muitas motocicletas e pedestres também. O intervalo de tempo entre os veículos é pequeno”, explica Fabrizia.

Na tentativa de evitar acidentes, a PRF mineira realiza uma operação especial durante este verão. De acordo com a chefe da comunicação, a chamada operação Rodovida tem como enfoque quatro temas a serem abordados em conscientização de motoristas: embriagues, fiscalização de motocicletas, excesso de velocidade e ultrapassagens proibidas.

A mais perigosa: BR-316 é cercada por aglomerados urbanos

Fabrizia alerta, ainda, sobre os perigos de dirigir durante o período chuvoso. Segundo ela, muitos motoristas dirigem da mesma forma, com a pista seca e molhada, quando é necessária atenção redobrada durante as chuvas. “A chuva agrava a falta de visibilidade e torna a pista escorregadia. Se não houver visibilidade, é preciso parar em locais seguros, como postos de combustíveis ou acostamentos, ligando o pisca alerta”, recomenda.

Em 2010, houve 27.366 acidentes em rodovias federais mineiras. Ao todo, 16.694 pessoas ficaram feridas e 1.344 morreram. Enquanto a BR-381 é a que registrou maior número de acidentes e mortos, a BR-460 foi a rodovia com menores números registrados de janeiro a outubro deste ano. Com 84 quilômetros de extensão, a BR-460 fica no Sul de Minas e liga a BR-267, na cidade de Cambuquira, a BR-354, em São Lourenço. Nela, foram registrados apenas 44 acidentes com 62 feridos leves, oito graves e quatro mortes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.