Perfil do fundador da Igreja Universal foi incluído na seção "Os 60 mais poderosos do País" do iG

O fundador da Universal, Edir Macedo
Arquivo
O fundador da Universal, Edir Macedo

O fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Edir Macedo, divulgou uma nota em que critica seu perfil publicado no  iG na seção "Os 60 mais poderosos do País" . Veja abaixo o perfil e a nota divulgada pela assessoria da Universal:

Veja o perfil publicado pelo iG

" O preconceito do portal iG contra a Universal

A pretexto de produzir um perfil do bispo Edir Macedo, líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, incluindo-o na lista dos “60 mais poderosos do país”, o portal iG, preguiçosamente, produziu uma colcha de retalhos com muitas informações mentirosas publicadas pela Imprensa no passado, mas já desmentidas pela Justiça brasileira, costurando-a com forte preconceito contra a Universal e seus fieis.

A começar pela expressão “templo é dinheiro”, que é uma forma jocosa e desrespeitosa de atacar a crença dos seguidores da Fé Cristã no dízimo. Ao afirmar que o fundador da Universal teria enriquecido com o dinheiro dos fieis, textualmente, a matéria acusa o bispo Macedo de possuir “um especial talento para atrair doações em tamanho e tempo capazes de fazer dele um bilionário”. Essa afirmação leviana já foi rechaçada pelo Judiciário, inclusive com decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal.

Quanto à citada lista da revista “Forbes” e seus critérios pouco transparentes, que transformaram o bispo Macedo em “bilionário”, reiteramos que a Rede Record de Televisão é o único bem de propriedade dele, com o aval das autoridades constituídas, dos seus milhares de funcionários e artistas, dos milhões de fieis da Universal e dos seus telespectadores de todas as religiões.

Da Record, o bispo Macedo não recebe salários, nem retira lucros — nunca recebeu um centavo da empresa. Não vive dessa atividade, sendo dependente do seu próprio trabalho como pastor evangélico.

O personagem descrito pelo portal iG é um aproveitador da “graça da generosidade dos fiéis”. Mas o texto não traz uma única linha sobre o fenômeno de Fé e de salvação de multidões que o bispo Macedo e a Universal promovem no Brasil e um uma centena de outros países. Ou dos inúmeros programas sociais patrocinados pela Universal que salvam milhões de abandonados pela sociedade e pelo Estado: viciados em drogas, moradores de rua, mulheres agredidas, idosos esquecidos pela família, eficientes desamparados, grávidas adolescentes, detentos e seus familiares, jovens sem perspectiva, vítimas de tragédias naturais.

É de se lamentar que o portal iG, um dos mais importantes e tradicionais da Internet brasileira, tenha se rendido ao preconceito religioso que, como veículo de comunicação respeitado, deveria combater.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.