Pesquisa encomendada pela CNT revela que 92,7% são a favor da redução da maioridade para 16 anos. Maioria também é contra o casamento de pessoas do mesmo sexo

De cada 10 brasileiros, nove são a favor da redução da maioridade penal de 18 anos para 16 anos. Isso é o que aponta a pesquisa da MDA, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e divulgada nesta terça-feira (11). Segundo a pesquisa, 92,7% dos entrevistados disseram que são a favor da redução. Apenas 6,3% do entrevistados disseram ser contra a redução. 0,9% responderam que não sabem.

Leia também: Senado busca ‘meio termo’ para reduzir maioridade penal
Ministro da Justiça diz que Brasil não pode mudar maioridade penal

Em outra questão formulada pela pesquisa, 69,1% responderam os crimes cometidos por menores de idade "aumentaram muito" nos últimos tempos. Para 24,8% apenas "aumentaram" recentemente; para 3,7% estão no mesmo nível que sempre estiveram; e para 1,7% diminuram nos últimos tempos.

Poder Online:
Chance de diminuir violência alimenta polêmica sobre redução da maioridade
Procuradora sugere que jovens infratores sejam obrigados a terminar estudos
Para presidente da OAB, redução de maioridade penal não reduzirá criminalidade

No caso da maioridade civil, o percentual dos favoráveis à redução é de 69,7%. Outros 28,2% se disseram contra e 2,1% afirmaram que não sabem ou não responderam.

“A pesquisa mostra que a população apoia a mudança, principalmente em função dos últimos acontecimentos envolvendo assassinatos graves. Esta é uma discussão que vai caminhar com muita força no Congresso", afirmou o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade.

Casamento gay

De todos os entrevistados pela pesquisa, quase a metade (49,7%) se posicionou contrária à união civil entre pessoas do mesmo sexo. Outros 38,9% dizem ser favoráveis e 11,4% não souberam opinar ou não responderam.

Quando o cenário é de casamento entre pessoas do mesmo sexo, e não apenas união civil, a rejeição aumenta para 54,2%. O número de favoráveis cai para 37,5% e o percentual de pessoas sem opinião formada a respeito vai a 8,3%.

A pesquisa também questionou o direito de um casal do mesmo sexo adotar um filho. Para 49,5% dos entrevistados, esse direito não deveria ser concedido. Outros 43,5% opinaram que um casal gay deveria ter o direito de adotar uma criança. Sete por cento não sabem ou não responderam.

A pesquisa entrevistou 2.010 pessoas em 134 municípios, sorteados aleatoriamente, de 20 Estados. As cinco regiões do País foram abordadas, no período de 1 a 5 de junho. A margem de erro é de 2,2 pontos com 95% de nível de confiança.

Mais da pesquisa: 
Aprovação do governo Dilma é de 54%, mostra pesquisa
Se eleições fossem hoje, Dilma venceria no primeiro turno

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.