Após PSB cortar dinheiro de Molon, PT adia decisão sobre aliança no RJ
Ricardo Stuckert e Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Após PSB cortar dinheiro de Molon, PT adia decisão sobre aliança no RJ

Diante da decisão do PSB de não fazer repasses do fundo eleitoral para Alessandro Molon caso ele decida levar adiante a sua candidatura ao Senado, a executiva nacional do PT optou por adiar para sexta-feira a definição sobre a manutenção ou não da aliança em torno de Marcelo Freixo na eleição para o governo do Rio.

Lideranças do PSB relatam que a saída de Molon da disputa deve ser sacramentada na tarde desta quinta-feira. Sem recursos, a sua candidatura fica asfixiada. O PT exige que o único candidato ao Senado na chapa de Freixo seja o presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), André Ceciliano.

Na noite de quarta-feira, a executiva do PSB decidiu, em reunião, que Molon ficará sem recursos do fundo eleitoral para a sua candidatura. Caberá ao ex-governador Márcio França, tesoureiro do partido, comunicar a decisão.

A pressão da cúpula do PSB para a retirada de Molon é resultado de atuação direta do ex-presidente Lula. Em sua passagem por Pernambuco há duas semanas, o candidato do PT a presidente convenceu lideranças do PSB do estado a trabalharem pela saída do deputado da disputa no Rio.

O diretório pernambucano é o mais influente no comando nacional do partido. Com dificuldade nas pesquisas, o candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Danilo Cabral, depende do engajamento de Lula em sua campanha para ter chance de manter o domínio do partido no estado, que já dura 16 anos.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários