Marcelo Arruda durante o aniversário com tema do PT
Reprodução
Marcelo Arruda durante o aniversário com tema do PT


O presidente Jair Bolsonaro recebeu na tarde desta quarta-feira o irmão do guarda municipal Marcelo Arruda, petista assassinado durante sua festa de aniversário por um apoiador do presidente. José Arruda chegou ao Palácio do Planalto acompanhado do deputado federal Otoni de Paula (MDB - RJ), que mediou o encontro.

Marcelo Arruda foi assassinado durante a sua festa de aniversário com a temática do PT , em sua casa em Foz do Iguaçu (PR). Ele foi candidato a vice-prefeito na chapa do partido de 2020 e era militante da legenda. O tema da comemoração teria sido o motivo para um simpatizante de Jair Bolsonaro interromper o evento e atirar contra Arruda, acusa o partido.

Em entrevista à colunista Bela Megale, Pâmela Suellen Silva, viúva de Marcelo, disse que vê uso político de tragédia por Bolsonaro. Disse, também, que o presidente procurou apenas parte da família, que apoia o presidente.

"Acredito que Bolsonaro está preocupado com a repercussão política, porque, tanto no vídeo que fez no cercadinho como no que conversa com os irmãos do Marcelo, Bolsonaro diz que estão tentando colocar a culpa nele", afirmou Pâmela à coluna.

Durante a conversa que teve com os dois irmãos, Bolsonaro disse que a imprensa e a esquerda têm procurado jogar a culpa do caso sobre ele.

"Possivelmente, estão preocupados só com a própria imagem", comentou Pâmela.


Ao GLOBO, José Arruda já defendeu o presidente e afirmou que ele não "aceita" violências como a que aconteceu com seu irmão.

"Ele não aceita esse tipo de coisa, essa violência. As pessoas estão usando o nome dele, e ele não aceita esse tipo de atitude".

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil geral do Portal iG .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários