Ciro Gomes é entrevistado no podcast 'O Assunto'
Reprodução/G1 - 13/06/2022
Ciro Gomes é entrevistado no podcast 'O Assunto'

Em entrevista nesta segunda-feira (13), o pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou que o ex-presidente Lula "se corrompeu" e se posicionou contra a participação militar no governo. 

As declarações são parte da entrevista dada ao podcast 'Ao Assunto', do G1. Segundo levantamento do Datafolha em maio, Ciro está em terceiro lugar na disputa com 7% das intenções de voto, atrás de Lula, com 48%, e de Jair Bolsonaro, com 27%.

Nesta segunda-feira, o pré-candidato voltou a criticar os dois principais adversários. Sobre Lula, Ciro disse que o pré-candidato do PT foi um "bom presidente", mas se "corrompeu".

"Lula foi um bom presidente. Não dá para desdizer [o que já disse anteriormente]. Ele foi um bom presidente, nas circunstâncias que governou o Brasil. Mas não tinha projeto de nada, não fez reforma institucional, não mudou absolutamente nada [...] Minha crítica é que o Lula se corrompeu organicamente e não dá para fazer de conta ele que não se corrompeu", disse.

Em relação ao atual presidente, Ciro fez críticas a participação militar no governo. Ele afirmou que, se eleito, irá proibir a participação de militares da ativa em cargos políticos. Nesse caso, só poderão assumir esse tipo de cargo os militares que forem para a reserva.

Além de Bolsonaro, vários outros militares de  exerceram cargos de primeiro escalão no governo, entre os quais estão: Walter Braga Netto, Luiz Eduardo Ramos, Fernando Azevedo e Silva, Augusto Heleno, o almirante Bento Albuquerque, além do vice-presidente Hamilton Mourão, também general.

"O que está acontecendo? Tem 3,8 mil militares da ativa dobrando salário em cargos políticos. No meu governo, primeiro dia: 'está proibido militar participar de cargo político'. É um cidadão como qualquer outro, mas deixe de ser militar e venha. Pode baixar para a reserva. Na ativa, você estar em cargo político? Sabe? É um negócio de doido. Estão transformado o Brasil em república de bananas", disse Ciro.

Reformas

O pré-candidato ainda disse que irá usar os seis primeiros meses de um eventual governo para propor reformas ao Congresso Nacional.

"Vai ser uma reforma só, um pacote inteiro, onde vai estar ali tudo junto, uma reconstitucionalização do Brasil para acabar com essa barafunda institucional em que estamos navegando: Supremo fazendo política, Congresso executando orçamento, Executivo sendo testa de ferro de ladrão. Isso vai matar o Brasil", afirmou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários