Pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT)
Divulgação/ PDT
Pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT)

O pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, viajou nesta quarta-feira ao Rio Grande do Sul, onde ficará até sábado. A primeira parada do ex-ministro é em Porto Alegre, a capital gaúcha. A viagem ao estado havia sido adiada no mês passado após Ciro ser diagnosticado com a Covid-19, o que fez com que ele suspendesse os compromissos de campanha.

Agora, aos poucos, o pedetista retoma as agendas, em meio à dificuldade de formar alianças e às ofensivas do PT para atrair o PDT ao arco de alianças do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ciro aproveitará a ida ao Rio Grande do Sul para lançar o ex-deputado federal Vieira da Cunha ao governo estadual. Originalmente, o partido pretendia encabeçar a chapa que disputará o Palácio Piratini com o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan. O cartola, porém, anunciou no mês passado que não seria candidato, na vésperas da viagem marcada de Ciro, antes de contrair o coronavírus.

Para lançar Vieira da Cunha, o pré-candidato à presidência irá para Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Pelotas, além de Porto Alegre. O evento oficial de lançamento da candidatura do ex-deputado, porém, será na capital gaúcha, hoje à noite de quarta-feira.

"Vai ser um ato de afirmação da candidatura local e de confirmação do apoio ao Ciro. Um ato alimenta o outro. O Ciro dá força para o Vieira, e o Vieira dá o público para o Ciro", afirmou o presidente do partido no estado, Pompeo de Mattos, que explicou que o evento será fechado para líderes do PDT. "Vai ser um ato grande, com mais de 500 lideranças podendo chegar a mil".

Em Porto Alegre, Ciro também participará de um encontro com mulheres do partido, na sede do PDT, e irá a uma sessão solene na Câmara de Vereadores da Cidade.

Nos demais municípios, o pedetista vai se reunir com a militância do partido. Ele também dará uma palestra, na sexta-feira, para estudantes de Direito na Universidade de Pelotas.

No Rio Grande do Sul, o campo da esquerda está congestionado de candidaturas ao governo estadual. Embora PT e PSB sejam aliados nacionalmente, as siglas defendem candidatos próprios: do lado petista, o deputado estadual Edegar Pretto, enquanto os socialistas querem o ex-deputado federal Beto Albuquerque.

Mesmo o PDT e o PSB sendo próximos no estado, o partido de Ciro decidiu manter candidatura própria. Pompeo de Mattos, porém, afirma que as duas siglas estão conversando:

"O PDT tem candidato, e nós vamos levar a candidatura. É uma candidatura recente, o Beto é uma candidatura mais antiga dentro do partido dele. Mas vamos manter o diálogo. Nossa candidatura está mantida, mas isso não quer dizer que vamos deixar de conversar".

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários