Deltan Dallagnol foi chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato no MP
Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom
Deltan Dallagnol foi chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato no MP

O ex-procurador da República Deltan Dallagnol afirmou, na tarde desta terça-feira, em seu perfil no Twitter, que a “Lava-Jato acabou”. A manifestação aconteceu depois que a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que Dallagnol indenize o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em R$ 75 mil.

O pedido, aceito por quatro dos cinco ministros da Corte, era de indenização por danos morais pela apresentação em "power point" em que Dallagnol apontou o ex-presidente como comandante do esquema criminoso de desvio de dinheiro na Petrobras no caso do tríplex, que foi arquivado após passar para a Justiça do DF.

Ainda na decisão do STJ, houve críticas à Lava-Jato e à espetacularização das investigações. A determinação representou mais uma derrota da operação. Em nota, advogados de Lula afirmaram que a condenação de Dallagnol ao pagamento da indenização é "uma vitória do Estado de Direito".

“A Lava Jato acabou. O combate à corrupção está virando cinzas. Corruptos que tiveram seus casos anulados pelo STF querem voltar às urnas. Procuradores são punidos por fazerem seu trabalho. O próximo passo será cobrar de volta de você, brasileiro(a), os bilhões que eles roubaram”, escreveu Dallagnol, em sequência de publicações no Twitter.

Leia Também

Ao citar o ex-presidente Lula, o ex-procurador da Lava-Jato lamentou a decisão do STJ e associou o petista à corrupção.

“Depois de perder em 2 instâncias, Lula reverte julgamento do caso Powerpoint no STJ. Brasileiros, entendam: isso é o que acontece quando se luta contra a corrupção e a injustiça no BR. Essa é a reação do sistema, nua e crua. Lula sai impune e nós pagamos o preço da corrupção”, prosseguiu Dallagnol.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários