Otávio Fakhouri
Reprodução: Redes Sociais
Otávio Fakhouri

O Partido Trabalhista Brasileiro de São Paulo, divulgou na última quarta-feira uma resolução que promete penalizar com expulsão e cancelamento da filiação aqueles que de alguma maneira incentivarem a vacinação contra Covid-19, apesar de ser a melhor maneira de combater a pandemia do coronavírus.

Em sua justificativa, o presidente estadual do PTB em São Paulo, o empresário Otávio Fakhoury, argumentou no documento que o Ministério da Saúde e a Anvisa são contra a obrigatoriedade da imunização e que países da Europa como Reino Unido, Finlândia, Bélgica, Dinamarca entre outros; têm relaxado as regras sanitárias para o enfrentamento da doença. A resolução diz considerar “o caráter experimental de vacinas com diversos relatos inclusive de maus súbitos, AVCs, tromboses e muitos outros efeitos colaterais e outros até desconhecidos”.

A eficiência da imunização, recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é comprovada cientificamente e, até o presente momento, não possui registros comprovados de efeitos adversos.

A resolução do PTB determina que a base partidária, sobretudo os detentores de mandato, votem contra projetos que tenham como objetivo a obrigatoriedade vacinal ou que determinem a aplicação de restrições de direitos aos que não se vacinarem. O documento recomenda ainda a criação de leis contrárias à obrigatoriedade e a proibição da implementação do passaporte sanitário para acesso a espaços públicos ou privados.

Leia Também

Para garantir o seguimento das determinações o documento lembra ainda que filiados ao PTB-SP possuem “o dever de fidelidade partidária de abster-se de pronunciamentos contrários à linha política do partido, o dever de compatibilidade da conduta com princípios éticos do partido e obrigação de obediência às diretrizes políticas e partidárias”.

Em suas redes sociais, Fakhoury afirmou que “Para o PTB-SP, a liberdade é um princípio inegociável” e que, enquanto for presidente do diretório, a posição será sempre a de garantir a liberdade do cidadão em “decidir quais substâncias deve permitir que sejam inoculadas em seu corpo”.

Fakhoury também se pronunciou quando uma internauta questionou, no post do partido sobre a decisão, sobre o voto favorável do vereador Cícero João, do PTB de Sorocaba, quanto a determinação de apresentação de comprovação de vacinação contra Covid-19. O presidente respondeu em sua rede social que está ciente do caso, que o tema será discutido na próxima reunião do diretório estadual e que Cícero João será levado ao conselho de ética do partido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários