Kassab quer aliado de Eduardo Leite na disputa pelo governo de SP
Marcelo Camargo/ABr
Kassab quer aliado de Eduardo Leite na disputa pelo governo de SP

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, decidiu lançar o prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth, na corrida pelo governo de São Paulo. Ramuth deixou o PSDB no começo do ano depois de ter apoiado o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias para escolher o candidato a presidente do partido, vencidas pelo governador de São Paulo, João Doria.

São José dos Campos foi o único diretório municipal do PSDB de São Paulo que não apoiou Doria nas prévias e se aliou a Leite. Kassab tem sondado o governador gaúcho para ingressar em seu partido e disputar a Presidência da República se o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), decidir não concorrer. O presidente do PSD se encontrou três vezes com Leite desde dezembro.

Na eleição de São Paulo, a aposta inicial de Kassab era o ex-governador Geraldo Alckmin, que também deixou o PSDB, mas o movimento de aproximação do ex-tucano com o ex-presidente Lula mudou os planos. A avaliação é que Alckmin está próximo de fechar um acordo para ser vice do petista.

Sem Alckmin, Kassab passou a cogitar a candidatura dos tucanos Paulo Alexandre Barbosa, ex-prefeito de Santos, do prefeito de Santo André, Paulinho Serra, e de Ramuth. Nos últimos dias, se decidiu em favor do prefeito de  São José dos Campos.

Leia Também

Nesta segunda-feira, ele irá até a cidade do Vale do Paraíba para formalizar o convite para Ramuth ser candidato. Os dois participarão juntos de uma entrevista coletiva na hora do almoço. O prefeito deve pedir um tempo para pensar sobre a candidatura, mas internamente a sua entrada na corrida eleitoral paulista é considerada certa.   

Para poder se candidatar, Ramuth terá que renunciar ao cargo de prefeito até o dia 2 de abril. O seu vice, Anderson farias, também trocou o PSDB pelo PSD.

Cenário indefinido

O cenário da corrida pelo governo de São Paulo ainda está indefinido. O vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), que deve assumir o comando do estado em abril com a renúncia de Doria para concorrer a presidente, é o nome certo na disputa. O presidente Jair Bolsonaro (PL) quer o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, concorrendo pelo seu partido, apesar das resistências ao seu nome na legenda.

O PT dá como certa a candidatura do ex-prefeito Fernando Haddad, mas o PSB quer o apoio dos petistas ao ex-governador Márcio França. O PSOL pretende lançar o líder sem teto Guilherme Boulos.   

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários