Alckmin pode suspender filiação ao PSB para facilitar acordo com Lula
Reprodução
Alckmin pode suspender filiação ao PSB para facilitar acordo com Lula

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pode se desfiliar do PSDB e adiar sua entrada no PSB para  facilitar aliança com Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Isso porque Alckmin está sendo aconselhado para que sua candidatura a vice na chapa de Lula não fique atrelada a disputas regionais do PSB com o PT.

Mesmo com Alckmin sem partido por enquanto, Lula ainda sinalizaria que deseja ter o ex-governador como vice para a eleição de 2022. A preferência do ex-PSDB seguiria sendo por um acordo com o PSB, mas o fracasso dessa alternativa não serviria de impedimento para a a união de Lula e Alckmin.

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, as negociações do PT com o PSB não envolveriam mais o nome de Alckmin em tentativas de acertos regionais. Com isso, a aliança entre ele e Lula seria facilitada.

Entenda 

Parte dos membros do PSB, entre eles o próprio presidente do partido, Carlos Siqueira, tentam condicionar a filiação de Alckmin ao compromisso do PT de apoiar candidatos do PSB aos governos estaduais de São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Acre, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

A manobra, portanto, seria para tentar desvincular essa necessidade de troca de favores entre PT e PSB e, assim, abrir caminho para a chapa Lula-Alckmin.

Em São Paulo, o PT não pretende abrir mão da candidatura de  Fernando Haddad ao governo estadual. O PSB, por sua vez, quer lançar Mário França e gostaria do apoio dos petistas. Nos outros estados, a situação seria resolvida mais tranquilamente.

Em Pernambuco, o PSB precisa do apoio do PT para garantir a permanência no poder. No Rio de Janeiro, o candidato Marcelo Freixo conta com um acordo com os petistas e Lula em seu palanque para ficar mais perto da vitória.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários