Lula discursa em faculdade da França
Youtube/ TVT
Lula discursa em faculdade da França


Para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) só não sofreu um impeachment até o momento por conta do Orçamento Secreto. O orçamento em questão prevê a criação das emendas de relator , que distribuem bilhões aos parlamentares sem que seja possível rastrear como, quando e onde o recurso foi empenhado .


"Enquanto a Dilma [Rousseff, ex-presidente] tinha um processo e eles colocaram pra votar, o Bolsonaro tem mais de 160 pedidos de impeachment e nenhum foi votado. E por que não foi votado? Porque a Comissão de Orçamento da Câmara criou um orçamento paralelo para distribuir para deputados", avaliou o político ao discursar na faculdade de ciência política Sciences Po, em Paris, na França.

Diferente do que disse Lula, Dilma foi alvo de 68 pedidos de impeachment, mas Bolsonaro já ultrapassou essa marca. Até setembro deste ano, o chefe do Executivo nacional era alvo de 137 pedidos ignorados pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O número é maior do que a soma de solicitações contra Dilma, Lula e o ex-presidente Michel Temer (MDB), como observou a coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles.

Leia Também


"Eu não sei se são R$ 20 bilhões ou R$ 16 bilhões que são distribuídos para os deputados votarem naquilo que o presidente quer e, com uma quantia dessa, ninguém vai votar impeachment contra presidente da República. Somente quem vai poder dar impeachment é o povo brasileiro, dizendo: 'Chega! Esse país merece gente melhor'", acrescentou o petista.



Nesse momento, Lula foi aplaudido pela plateia do evento. Ao longo do discurso, ele pontuou que o governo Bolsonaro promove um desmonte em diversas áreas, persegue cientistas, artistas e pesquisadores e incentiva a destruição da floresta.

Favorito a vencer a eleição em todas as  pesquisas de intenção de votos realizadas, o petista evita confirmar que será candidato à Presidência da República. Apesar disso, Lula tem feito uma série de viagens e encontros políticos em que discute a eleição de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários