Ciro Gomes e Dilma Rousseff
Reprodução/ montagem iG
Ciro Gomes e Dilma Rousseff

O pré-candidato à presidência da República,  Ciro Gomes (PDT) afirmou em entrevista ao Estadão Notícias, que o  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  "conspirou" para a concretização do impeachment de Dilma Rousseff, que foi afastada do cargo de presidente em 2016, após sua deposição ser aprovada pela maioria dos votos dos parlamentares na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Ciro também declarou que Lula mantém contato com aqueles que apoiaram e votaram a favor do impeachment de Dilma Rousseff, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE), como forma de aliança  durante o pleito presidencial de 2022.  

"Eu atuei contra o impeachment, e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje?", iniciou. "Hoje eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro", declarou.

A ex-presidenta Dilma Rousseff respondeu as críticas de Ciro Gomes nesta quarta-feira (13) em sua conta no Twitter. "Ciro Gomes está tentando de todas as formas reagir à sua baixa aprovação popular. Mais uma vez mente de maneira descarada, mergulhando no fundo do poço. O problema, para ele, é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas", rebate a ex-presidenta. 

Ao ver a resposta da petista, Gomes continuou o assunto na rede social dizendo que errou ao tentar impedir o impeachment de Dilma.


Leia Também

Segundo o pré-candidato, o seu irmão, senador Cid Gomes (PDT-CE), chegou a questionar se de fato aqueles que se diziam aliados de Rousseff queriam impedir sua deposição do cargo.

"O meu irmão, que também estava lutando [contra o impeachment], me chamou e falou assim: 'será que esses caras querem impedir o impeachment'. Agora estou seguro que eles estavam colaborando pelo impeachment da Dilma, porque nas eleições de 2018, o Lula estava com o Renan Calheiros, e queria que eu me envolvesse nisso, eu que fui para as ruas, [sendo que à época] era muito impopular defender a Dilma. Agora os amigos do peito são eles", completou.

Além disso, Ciro Gomes teceu duras críticas ao PT, ao Lula e à Dilma Rousseff, a quem ele disse considerar ser uma pessoa "desqualificada", sem "vocação" e sem "aptidão" para exercer o posto de chefe do Executivo Federal.

Para o político cearense, foi a "irresponsabilidade criminosa" de Lula, em conjunto com a crise econômica durante o segundo mandato do governo de Dilma, que fez  Jair Bolsonaro (sem partido)  se tornar presidente.

"Quem produziu o Bolsonaro foi a irresponsabilidade criminosa e corrupta do Lula. Foi a crise econômica produzida pela falta absoluta de responsabilidade do Lula, que nos impôs uma presidenta, sem nenhuma qualificação para o cargo, sem aptidão e vocação, que fez o oposto do que prometera", afirmou Ciro.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários