Presidente Jair Bolsonaro ao lado do presidente da CCJ, Davi Alcolumbre
Marcos Corrêa/ PR
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do presidente da CCJ, Davi Alcolumbre


O presidente Jair Bolsonaro voltou a reclamar do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, pela demora em pautar a sabatina do ex-advogado-geral da União, André Mendonça. O procedimento é necessário para que os senadores aprovem ou rejeitem a indicação de Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF).


“Eu ainda aguardo a sabatina do André Mendonça no Senado Federal. Ele [Davi Alcolumbre] age fora das quatro linhas da Constituição”, disse o presidente em entrevista à CNN Brasil, na manhã desta quarta-feira (13). A data marca o período de três meses desde que Bolsonaro formalizou a indicação, cumprindo sua promessa de escolher  alguém "terrivelmente evangélico" para ocupar a vaga do ministro Marco Aurélio Mello.


Com isso, Bolsonaro já afirmou que o Alcolumbre "está fazendo não se faz". Para ele, se trata de uma "tortura".



Fato é que  não há consenso sobre o nome de Mendonça e membros do próprio governo já estudam outras opções. Além disso, de acordo com a coluna de Guilherme Amado, no portal Metrópoles, o presidente da CCJ se irritou com as declarações de Bolsonaro e chegou a dizer a aliados que pensa em só pautar a sabatina em 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários