Roberto Jefferson será monitorado em hospital para não receber visitas
Reprodução: iG Minas Gerais
Roberto Jefferson será monitorado em hospital para não receber visitas

Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, foi beneficiado com uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes , para que ele possa sair da prisão e realizar um tratamento médico para cuidar de uma infecção urinária. Com isso, o ex-deputado federal será levado ao Hospital Samaritano da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro apontou que havia "insuficiência, por ora, do tratamento médico recebido no hospital penitenciário". Com isso, o ministro considerou que "as alegações da Defesa em relação ao quadro de saúde do preso e verificando a necessidade de tratamento médico fora do estabelecimento prisional, nos termos do art. 120, II, c/c 14, ambos da Lei de Execução Penal (Lei 7.210/ 84), vislumbro ser possível a autorização para a saída do custodiado".

Com a saída do sistema prisional, Jefferson precisará utilizar uma tornozeleira eletrônica e não poderá receber visitas sem autorização prévia. Suas idas ao hospital precisarão respeitar uma série de medidas cautelares. Moraes ressaltou que Roberto continua em prisão preventiva e que seu tratamento será interrompido caso haja o descumprimento das ordens judiciais.


O presidente do PTB foi preso em 13 de agosto por decisão de Moraes, que considerou que o político integrava "uma possível organização criminosa – da qual, em tese, o representado faz parte do núcleo político –, que tem por um de seus fins desestabilizar as instituições republicanas, principalmente aquelas que possam contrapor-se de forma constitucionalmente prevista a atos ilegais ou inconstitucionais, como o Supremo Tribunal Federal (STF) e o próprio Congresso Nacional", sentenciou Moraes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários