Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Alan Santos/PR
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

presidente Jair Bolsonaro criticou nesta segunda-feira as prisões do  ex-deputado Roberto Jefferson e do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) , ambas determinadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, e afirmou que não se pode "aceitar passivamente isso".

Sem citar nomes, Bolsonaro referiu-se aos casos de Jefferson, Silveira e do blogueiro Oswaldo Eustáquio, também detido por ordem de Moraes, ao criticar decisões que colocariam em risco a liberdade de expressão. Na sexta-feira, o presidente apresentou ao Senado um pedido de impeachment contra o ministro.

"Foi preso há pouco tempo um deputado federal e continua preso até hoje, em prisão domiciliar. A mesma coisa um jornalista, ele é jornalista, é blogueiro, também continua em prisão domiciliar até hoje. Temos agora um presidente de partido. A gente não pode aceitar passivamente isso, dizendo: "ah, não é comigo". Vai bater na tua porta", afirmou Bolsonaro, em entrevista à Rádio Regional FM 91, de Registro (SP). 

Daniel Silveira foi preso em fevereiro, após publicar vídeo com ataques e ofensas a membros do STF., e está em prisão domiciliar. Roberto Jefferson, que é presidente nacional do PTB, foi preso há duas semanas, pela suspeita de participação em uma organização criminosa digital montada para ataques à democracia.

Já o blogueiro Oswaldo Eustáquio foi preso em duas oportunidades no ano passado , no âmbito de inquerito que investigava atos antidemocráticos. Entretanto, ao contrário do que disse Bolsonaro, Eustáquio não está mais em prisão domiciliar, já que o inquérito foi arquivado.

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que "não é justo" um ministro do STF determinar prisões com base em "críticas":

"Se você acha que a crítica está exagerada, você entra na Justiça. Um ministro do Supremo Tribunal Federal mandar prender, isso não é justo. A crítica,por pior que seja, você tem que tolerar. A liberdade de expressão é ampla, é garantida a todos nós".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários