Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)
Pedro Gontijo/Senado Federal
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)


O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou na noite desta sexta-feira (20) que o "impeachment não pode ser banalizado". A declaração foi feita em resposta ao pedido de impedimento feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em relação ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes

"Impeachment não pode ser banalizado, não pode ser mal usado. É uma coisa muito séria", disse Pacheco durante sua visita à Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Apesar desta fala, o presidente do Senado afirmou que é sua função ler o pedido protocolado por Bolsonaro, mas adiantou que, a princípio, não vê motivos para o impedimento de Moraes e nem do próprio presidente da República. 

Em um tom moderador, Pacheco afirmou que deseja unir os Poderes e promover uma conversa entre todos os líderes: o próprio Pacheco,  Jair Bolsonaro (Executivo), Arthur Lira (presidente da Câmara dos Deputados), Luiz Fux (presidente do STF) e Augusto Aras (procurador-geral da República). 


"Vou continuar na mesma tônica, no desejo de pacificação. Que possamos nos reunir para identificar os consensos e os contrassensos e buscar mecanismos para resolvê-los. É importante manter o diálogo. Vamos buscar a união e a preservação da democracia", disse Pacheco, que completou: "Precisamos gastar energia em outros problemas, como a pandemia, a inflação, a fome e as questões ambientais, que podem alijar o Brasil de negociações internacionais", finalizou. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários