Ex-presidente Lula
Reprodução/redes sociais
Ex-presidente Lula

Fora da prisão desde novembro de 2020, o ex-presidente Lula disse nesta quinta-feira (12), durante lançamento do livro "Memorial da Verdade" que espera que seu processo seja anulado para recuperar o "pequeno rendimento" que está bloqueado pela Justiça para "casar com Janja e viver feliz para o resto da vida". 

Provável candidato à presidência em 2022 e  líder nas pesquisas de intenção de voto, o petista foi preso pelo ex-juiz Sergio Moro por lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. O ex-líder sindical diz ter sofrido "perseguição" de Moro e do MPF (Ministério Público Federal).

Em junho de 2021, o  Supremo Tribunal Federal considerou Moro parcial no julgamento que prendeu o petista. Antes, porém, quando responsável pela Operação Lava Jato, Moro determinou o bloqueio de mais de R$ 600 mil de contas bancárias e cerca de R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada do ex-presidente.

Livro e plataforma virtual "Memorial da Verdade"

Nesta quinta (12), Lula lançou o livro e plataforma "Memorial da Verdade", que conta todo o processo que levou o petista à prisão em 2018. O PT apresenta o projeto como "a história de como Lula conquistou suas vitórias na Justiça, provou sua inocência, recuperou seus direitos e voltou a ser a esperança do povo na reconstrução do Brasil".

Durante live de apresentação do Memorial da Verdade, Lula disse ter sido perseguido pela Justiça e alegou que tentaram "destruir o PT e a esquerda brasileira", mas que "não deu certo".

Na prisão, o petista diz ter lido muito e recebido cartas de todo o mundo. Ele ainda  comentou sobre o governo Bolsonaro e prometeu: "não vamos admitir a humilhação que o Brasil está passando diante do mundo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários