Câmara aprovou cassação do mandato de Flordelis
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Câmara aprovou cassação do mandato de Flordelis

A defesa da deputada federal cassada Flordelis (PSD-RJ) entrou com um habeas corpus para que ela não seja presa. O texto foi enviado logo depois que os advogados da acusação protocolaram o pedido de prisão na Justiça. Os pedidos serão analisados pela 2ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio.

A Câmara dos Deputados aprovou na noite dessa quarta-feira (11) a cassação do mandato da deputada, por 437 votos a 7 . Flordelis é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo , em junho de 2019, em Niterói (RJ). 

Entre os argumentos, os advogados afirmam que Flordelis já tem 60 anos e pode ser considerada idosa, dessa maneira, corre mais risco de contrair Covid-19 e desenvolver sintomas mais graves na prisão. Além disso, o texto também diz que ela compareceu a todos os atos processuais e atendeu às convocações da Justiça.

Ontem, em discurso no plenário, ela disse que sairia de cabeça erguida e implorou que os deputados votassem contra a cassação . "Caso eu saia daqui hoje, saio de cabeça erguida porque sei que sou inocente, todos saberão que sou inocente, a minha inocência será provada e vou continuar lutando para garantir a minha liberdade, a liberdade dos meus filhos e da minha família, que está sendo injustiçada", declarou.

Além de perder o cargo, a deputada ficará inelegível por determinação da Lei da Ficha Limpa.

A cassação de Flordelis foi publicada nesta quinta-feira (12) no Diário da Câmara dos Deputados . No texto, o presidente da Casa, Arthur Lira, informa sobre a decisão tomada em votação no plenário nessa quarta-feira. Com a publicação, a cassação passa a produzir efeitos e faz com que a pastora perda a imunidade parlamentar, podendo ser presa a qualquer momento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários