Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)
Pedro Gontijo/Senado Federal
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)

Nesta quarta-feira (11), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que o assunto do voto impresso,  que teve a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) rejeitada na Câmara dos Deputados nessa terça-feira (10) , já "está resolvido". Ele também disse confiar na Justiça Eleitoral brasileira em relação à lisura das eleições e das urnas.

"Indagaram-me sobre uma PEC parecida que há no Senado desde 2015, mas considero que o pronunciamento da Câmara torna definitiva e resolvida essa questão", afirmou Pacheco aos jornalistas. "Não cabe ao Senado a tramitação de uma matéria com o mesmo objeto, em função da decisão da Câmara dos Deputados".

"Quero reiterar a minha confiança na Justiça Eleitoral brasileira, que possa se desincumbir dos caminhos as eleições, com o máximo de lisura, sem qualquer tipo de fato que possa ser apontado em relação à fraude ou o que valha", continuou. "Renovo a confiança na Justiça Eleitoral e que tenhamos a normalidade no processo eleitoral de 2022, pilar do Estado Democrático de Direito. Esse assunto está resolvido."

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Voto Impresso foi rejeitada em plenário na noite de ontem . Eram necessários 308 votos favoráveis ao texto de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF). No entanto, apenas 229 parlamentares apoiaram a PEC. Outros 218 foram contrários .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários