Mayra Pinheiro, a Capitã Cloroquina, em seu depoimento na CPI da Covid
Leopoldo Silva/Agência Senado
Mayra Pinheiro, a Capitã Cloroquina, em seu depoimento na CPI da Covid

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid no Senado, decidiu denunciar Mayra Pinheiro , secretária do Ministério da Saúde conhecida como 'Capitã Cloroquina', ao Tribunal Penal Internacional de Haia por crime de lesa-humanidade. Segundo Guilherme Amado, colunista do Metrópoles, a decisão foi tomada em conjunto com os demais senadores do chamado G7, grupo majoritário da comissão.

De acordo com os senadores, está provado que Mayra Pinheiro usou a população de Manaus como cobaia para experimentos científicos com a cloroquina, medicamento comprovadamente ineficaz contra a Covid-19 e que, não por acaso, virou o 'nome' da secretária do Ministério da Saúde.

A Capitã Cloroquina já depôs na CPI, que segue reunindo provas de como o governo federal atuou deliberadamente para propagar o vírus, incentivar aglomerações e o uso de medicamentos ineficazes do chamado 'tratamento precoce' e, além disso, apura esquemas de corrupção, como o pedido de propina de US$ 1 dólar por dose de vacina .

Após o depoimento de Mayra Pinheiro, a Comissão do Senado recebeu um vídeo divulgado pelo site The Intercept que mostra a secretária  combinando perguntas e pedindo uma 'tabelinha' com senadores governistas para, uma vez mais, defender medicamentos sem comprovação científica.

Você viu?

"Qual é a bala de prata que eu posso levar estampada para dizer aos senadores: 'tá aqui a prova estatística que eu tenho até hoje que hidroxicloroquina, ivermectina funciona?'", questionou ela em trecho do vídeo. A resposta não surpreende: não havia nada concreto para que ela levasse e provasse a eficácia dos medicamentos propagados pelo governo, já que cientificamente eles não funcionam contra a Covid-19.

"Capricha e já me dá a resposta porque os senadores têm que ter essa respostinha. Tem cinco senadores que vão jogar com a gente, preciso dar perguntas para eles interrogarem cujas respostas sejam oportunidade de eu falar", pediu.

Enquanto o Ministério da Saúde já discutia a vacinação no Brasil e a compra de imunizantes, Mayra Pinheiro sugeriu a criação do TrateCov , aplicativo que propagou o uso de remédios como a cloroquina, além de outras drogas sem comprovação da ciência.

Durante seu depoimento na CPI, a Capitã Cloroquina teria mentido 11 vezes, segundo as contas do relator Renan Calheiros. Os senadores veem que a forma como Mayra dirigiu a ação do Estado no sentido de promover o uso de medicamentos comprovadamente ineficazes em meio a uma crise sanitária sem precedentes, sobretudo em Manaus, onde chegou a faltar oxigênio em hospitais por dias, configura crime contra humanidade, que será apurado pelo Tribunal de Haia, órgão internacional criado justamente para apurar crimes lesa-humanidade e com histórico de condenações de genocidas, como Augustin Bizimungu, ex-comandante do Estado-Maior do Exército de Ruanda, onde cerca de 800 mil pessoas foram assassinadas em 1994, em sua maioria da etnia tutsi.

Até este sábado (7),  562.752 já morreram por Covid-19 no Brasil , segundo os dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Nas últimas 24 horas, foram 990 óbitos. Ao todo, 20.151.779 brasileiros foram contaminados pelo novo coronavírus, de acordo com os números oficiais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários