Kakay considera 'arriscada' a ida de Ciro Nogueira ao governo Bolsonaro
Reprodução
Kakay considera 'arriscada' a ida de Ciro Nogueira ao governo Bolsonaro

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, popularmente conhecido como Kakay e advogado do senador Ciro Nogueira, considera 'arriscada' a provável ida do parlamentar para o ministério da Casa Civil para integrar o governo Bolsonaro . As informações são da jornalista Camila Mattoso.

Questionado sobre a sua opinião referente a possível nomeação de Ciro à frente da Casa Civil, para substituir Luiz Eduardo Ramos, atual chefe da pasta, o criminalista enviou uma figurinha com a letra 'A' repleta de riscos.

Kakay, crítico ferrenho da gestão Bolsonaro, aproveitou para rebater as acusações de corrupção realizadas contra Nogueira, de que seu cliente teria recebido propina da Odebrecht e da JBS, bem como valores desviados da Petrobras.

Confira a nota de Kakay:

O Senador Ciro Nogueira foi colocado sob foco de investigação num momento no qual havia, claramente, uma tendência de criminalização da política. Uma estratégia vulgar adotada pela tal Operação Lava Jato e que já foi condenada pelo Supremo Tribunal.

A defesa técnica sempre fez esse apontamento, inclusive com base no parecer elaborado por Luís Greco e Alaor Leite sobre o tema.

As primeiras denúncias apresentadas formalmente contra o Senador Ciro Nogueira perante o Supremo foram completamente rechaçadas pela Corte, que tem se posicionado firmemente contra os excessos nas delações e contra essa criminalização da política.

Você viu?

Claro que ninguém está acima da lei, e todos podem e devem ser investigados. Mas não há, em nenhum dos inquéritos em tramite no Supremo Tribunal Federal, qualquer coisa que preocupe a defesa. O tempo exagerado nas análises das questões faz com que exista um desequilíbrio entre os poderes. A PGR capturou a pauta do Legislativo.

No inquérito 4407, que investigou supostos pagamentos pela Odebrecht, o que existe é apenas a versão dos delatores, que não se sustenta em nenhum outro elemento de corroboração. E que hoje já estão desmoralizados.

O mesmo ocorre em relação ao inquérito 4736, que investiga fatos decorrentes tão somente da colaboração da JBS.

Já o inquérito 4720, após o Ministro Edson Fachin receber a denúncia, pediu vistas o Ministro Gilmar. A defesa confia na rejeição pelo colegiado, tendo em vista que tal investigação originou-se do INQ 4631, arquivado em relação ao Senador Ciro Nogueira.


Assim, neste momento em que o Senador, ao que parece, opta por assumir um cargo no Governo Federal, a defesa tem a tranquilidade de afirmar que não há nada que possa impedir a mais completa e livre definição política do que desejar o Senador Ciro Nogueira.

Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários