Bolsonaro voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal
Reprodução: iG Minas Gerais
Bolsonaro voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou nesta quinta-feira ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que articulam contra a adoção do voto impresso. Bolsonaro disse que, caso a medida não seja implementada, "vamos ter problemas" nas eleições do próximo ano .

Na quarta-feira, o Globo mostrou que os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso estão atuando como "guardiões" da urna eletrônica. Os três se dividem em defesas públicas do sistema atual de votação e em articulações de bastidores, para convencer a classe política a não alterar o modelo.

"Tem uma articulação de três ministros do Supremo para não ter o voto auditável. Se não tiver, eles vão ter que apresentar uma maneira de termos eleições limpas. Se não tiver, vamos ter problemas no ano que vem. Eu estou me antecipando a problemas no ano que vem", disse Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Em janeiro, um dia após apoiadores do então presidente dos Estados Unidos Donald Trump invadirem a sede do Legislativo americano por não aceitarem o resultado das eleições, Bolsonaro já havia dito que o Brasil terá um "problema pior que os Estados Unidos" se não houver voto impresso.

O presidente nunca apresentou uma evidência de fraude nas eleições brasileiras, apesar de ter prometido há mais de um ano apresentar provas de irregularidades nas eleições de 2018, vencidas por ele.

Você viu?

A adoção de um sistema em que a urna eletrônica imprimiria o voto está sendo discutida na Câmara dos Deputados. Bolsonaro tem repetido que caso o projeto seja aprovado, ele será implementado, em referência a decisões anteriores do STF que consideraram inconstitucionais propostas semelhantes.

"Então se tem três do Supremo articulando para não ter o voto impresso, porque que eles estão preocupados com a judicialização...Eu já falei, se o Congresso promulgar, vai ter voto impresso", repetiu o preside nesta quinta.


Entretanto, a aprovação do projeto foi dificultada após presidentes de 11 partidos decidirem se posicionar publicamente contra o voto impresso . Uma reunião feita no sábado para debater o tema contou a participação de aliados de Bolsonaro, como o presidentes do PP, senador Ciro Nogueira (PI) ; do Republicanos, deputado Marcos Pereira (SP); e do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários