vereador Dr. Jairinho (sem partido), alvo de processo de cassação na Câmara
O Antagonista
vereador Dr. Jairinho (sem partido), alvo de processo de cassação na Câmara

O presidente da Câmara Municipal, Carlo Caiado (DEM), disse nesta terça-feira (29) que Dr. Jairinho (sem partido) "sempre foi uma pessoa muito querida por todos na Casa" e que não viu "mal algum" na foto que a defesa do vereador anexou às suas alegações finais, numa tentativa frustrada de convencer a Comissão de Ética da Câmara a não levar sua cassação a plenário.

A imagem, que exibe Jairinho sorrindo ao lado de Caiado e do vereador Carlos Bolsonaro (Podemos), filho do presidente Jair Bolsonaro, foi adicionada aos autos no intuito de mostrar que Jairinho tinha um perfil "caridoso e carismático que formou uma legião de amigos e admiradores na Casa", como define o documento apresentado pela defesa.

A declaração de Caiado foi dada na véspera da votação que pode resultar na cassação do mandato de Jairinho, que está preso pelo homicídio triplamente qualificado do enteado, Henry Borel Medeiros.

"Como sempre falei desde o início, foi uma surpresa muito grande tudo o que aconteceu. Vereador Jairinho sempre foi uma pessoa muito querida dentro da casa. Se ele ocupou as funções que ocupou, foi por conquistas pelo trabalho dele e pela maneira dele de lidar e de ser até um articulador, um cara bem carismático. Não vi problema algum. Acho que a defesa quis, de fato, fazer uma demonstração de que ele tinha uma característica de carinho com as pessoas e de se dar bem com todo mundo. Não vi problema nenhum", disse Caiado após o evento de divulgação do programa "Reforça Rio", da Secretaria municipal de Educação (SME), no Palácio da Cidade, nesta terça.

Caiado frisou que todo o caso tem recebido um tratamento técnico desde o início:

"E acho que todo mundo que acompanhou desde o início, vocês acompanharam bem, (sabe que) o processo foi bem técnico, acompanhou todos os ritos legais, seja para a defesa, seja para os fatos que aconteceram, que envolveram uma cobrança muito clara e óbvia da sociedade, (no sentido de) que tivesse o desfecho que foi dado ontem pela sociedade no Conselho de Ética", disse o vereador.

Você viu?

Ao todo, são onze fotos anexadas nas alegações finais, às quais O GLOBO teve acesso. Algumas repetidas, como uma em que Jairinho aparece falando em plenário, com Cesar Maia (DEM) ao fundo.

Numa outra peça anexada, o vereador aparece mais uma vez ao lado de Caiado, presidente da Casa. A defesa do vereador também usou uma foto de Jairinho com Henry Borel e Monique Medeiros e outras de momentos de confraternização, como uma em que ele posa num evento ao lado de crianças e uma pessoa fantasiada de coelho.

A estratégia da defesa de Jairinho não foi bem recebida por alguns membros da Comissão de Ética , que a enxergaram, sobretudo, como uma tentativa de intimidação.

Na manhã desta segunda-feira (28), após uma reunião fechada que durou cerca de uma hora, os sete vereadores que compõem a Comissão de Ética da Câmara decidiram, por unanimidade , levar ao plenário a votação sobre a cassação do vereador Dr. Jairinho, que está preso, acusado de matar seu enteado, Henry Borel, de apenas 4 anos, em março deste ano.

No entendimento dos parlamentares, houve quebra de decoro parlamentar quando Jairinho, utilizando-se de sua influência política, buscou contato com um profissional da Rede D'or para tentar fazer com que o corpo de Henry não fosse levado diretamente para o Instituto Médico-Legal ( IML ) na noite em que o garoto morreu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários